Ben Stansall / AFP
Ben Stansall / AFP

'Roma' ganha Bafta de melhor filme e direção e 'A Favorita' conquista 7 prêmios

Alfonso Cuarón levou também os prêmios de melhor filme em língua não inglesa e melhor direção de fotografia

Redação, EFE

11 de fevereiro de 2019 | 10h25

A Favorita, filme do grego Yorgos Lanthimos, conquistou neste domingo sete prêmios na 72ª edição do Bafta, principal premiação do cinema britânico, mas Roma, a ode à sua infância do mexicano Alfonso Cuarón, conseguiu o mais cobiçado da noite, o de melhor filme.

Roma levou também os prêmios de melhor filme em língua não inglesa, melhor diretor e melhor direção de fotografia, estes dois últimos para Cuarón, responsável também pelo roteiro do longa.

O filme do mexicano saiu da cerimônia com quatro dos sete prêmios para os quais havia sido indicado, frente aos sete conquistados por A Favorita, que havia recebido 12 indicações.

A Favorita triunfou nas categorias de melhor atriz (Olivia Colman), melhor atriz coadjuvante (Rachel Weisz), melhor maquiagem e penteados, melhor design de produção, melhor filme britânico, melhor roteiro original e melhor figurino.

Além dos dois grandes vencedores da noite, a biografia de Freddie Mercury, Bohemian Rhapsody, terminou a premiação com duas das prezadas máscaras douradas do Bafta.

Rami Malek subiu ao palco para receber o prêmio de melhor ator protagonista e o filme de Bryan Singer - que recentemente foi acusado de agressão sexual e que foi demitido das filmagens antes do final - levou também o prêmio de melhor som.

Por sua vez, Nasce Uma Estrela levou o de melhor trilha sonora, prêmio que foi recebido por Bradley Cooper, autor da trilha sonora junto com a ausente Lady Gaga e Lukas Nelson.

Além disso, Infiltrado na Klan, de Spike Lee, conquistou o prêmio de melhor roteiro adaptado, enquanto Pantera Negra levou o de melhores efeitos especiais e Mahershala Ali foi reconhecido como melhor ator coadjuvante por Green Book - O Guia.

Já o prêmio de melhor montagem ficou com Vice, que não ganhou mais nada na noite, enquanto Homem-Aranha: No Aranhaverso levou o Bafta de melhor animação; Free Solo foi premiado como melhor documentário; 73 Cows, como o melhor curta britânico; e Roughhouse, como melhor curta britânico de animação.

Por outro lado, o grande perdedor da noite foi O Primeiro Homem, de Damien Chazelle, que saiu com as mãos abanando mesmo depois de ter sido indicado para em várias categorias.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.