REUTERS/Kevork Djansezian/File Photo
REUTERS/Kevork Djansezian/File Photo

Chefe da Amazon Studios é suspenso após alegação de assédio sexual

Notícia vem na esteira da repercussão das denúncias contra Harvey Weinstein, poderoso produtor de cinema

Reuters

13 Outubro 2017 | 17h08

SAN FRANCISCO - O diretor da Amazon Studios, Roy Price, entrou em licença na quinta-feira, 12, informou a empresa, devido a alegações de assédio por uma produtora e ao fato de ele ter ignorado reclamação de uma atriz contra o produtor Harvey Weinstein por agressão sexual.

+ Quem é Harvey Weinstein?

Na quinta-feira a revista Hollywood Reporter noticiou uma alegação de Isa Hackett, produtora de uma das séries da Amazon.com, de que Price teria feito propostas indecentes em 2015.

A atriz Rose McGowan usou o Twitter para afirmar que o chefe do Amazon Studios sabia de suas alegações contra Harvey Weinstein e não fez nada. 

A Amazon disse em um comunicado: “Roy Price entrou em licença com efeito imediato. Estamos revisando nossas opções para os projetos que temos com a Weinstein Co.”

A notícia vem na esteira da repercussão das denúncias contra Harvey Weinstein, produtor de 65 anos. Na quinta-feira, 5, o The New York Times publicou uma reportagem com acusações de atrizes e profissionais da indústria do cinema. Na última terça, 10, a The New Yorker também divulgou outra matéria em que pelo menos 3 mulheres detalham estupros cometidos por Weinstein.

O afastamento de Price cria incerteza sobre a direção do estúdio no momento em que a Amazon está investindo mais do que nunca em conteúdos de vídeo – foram cerca de US$ 4,5 bilhões neste ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.