Justiça suspende leilão da Avianca, que estava programado para esta terça

Justiça suspende leilão da Avianca, que estava programado para esta terça

Sonia Racy

06 de maio de 2019 | 15h18

AERONAVE DA AVIANCA. FOTO: CARLOS GARCIA RAWLINS/REUTERS

AERONAVE DA AVIANCA. FOTO: CARLOS GARCIA RAWLINS/REUTERS

O leilão da Avianca Brasil, que estava programado para esta terça-feira, 7, foi suspenso nesta segunda-feira devido a uma decisão liminar da Justiça de São Paulo.

O desembargador Ricardo Negrão, do Tribunal de Justiça, deu resposta favorável a um pedido feito pela empresa Swissport Brasil. O tema ainda será julgado pelo TJSP.

O leilão faz parte do processo de recuperação judicial da Avianca, iniciado em dezembro, na tentativa de encontrar uma solução para dívidas acima de R$ 3 bilhões. A Swissport, que presta serviços de logística em aeroportos, diz ser credora de R$ 17 milhões e contesta o edital do leilão.

Publicado em no dia 16 de abril no Diário Oficial de SP, o texto prevê a venda de autorizações para pousos e decolagens – os chamados slots – da Avianca nos leilões. A medida é proibida pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Procurada pela coluna, a Avianca confirmou que “um de seus credores pediu a suspensão da homologação do plano de recuperação judicial da empresa, que tem como efeito a suspensão do leilão que seria realizado nesta terça-feira”.

“Neste sentido, a companhia informa que está estudando as medidas cabíveis a serem tomadas”, diz a nota da empresa.

Leia mais notas da coluna:
+ Mônica Martelli defende ajuda à cultura e critica quem acha arte ‘uma coisa menor’
+ Internautas vão movimentar R$ 3,8 trilhões na economia em 2019

Tudo o que sabemos sobre:

Avianca

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.