Internautas vão movimentar R$ 3,8 trilhões na economia em 2019

Sonia Racy

06 de maio de 2019 | 11h45

RENATO MEIRELLES. FOTO: IARA MORSELLI/ESTADÃO

 

O Brasil tem hoje 122 milhões de internautas, 78% deles nas classes C, D e E. Metade deles é de negros e, em conjunto, eles vão movimentar em 2019 R$ 3,8 trilhões na economia brasileira.  Esse cenário, bem diferente do que muitos imaginam, foi revelado por pesquisa feita pelo Instituto Locomotiva em parceria com a agência Grey e divulgada nesta manhã de segunda-feira em São Paulo.

No geral, os internautas são hoje mais velhos do que há uma década e imensa maioria deles, 87%, só fala português. Das demais línguas, o inglês é dominado apenas por 9%. Ou seja, a internet está longe de ser, como se acreditava, um privilégio de público jovem de classe média e conectado a outros recursos virtuais. As barreiras financeiras, no entanto, ainda são um obstáculo. Em 41% dos domicílios com acesso à internet, o celular é o único meio usado para se conectar e o seu uso é limitado, em média, a pacotes mínimos, que oferecem até 10 MB por dia.

“O que vemos hoje é um perfil de usuário bem mais próximo da sociedade brasileira, do País real”, resume Renato Meirelles, do Locomotiva, um dos coordenadores do trabalho. “É um equívoco”, acrescenta, “a ideia de um público de jovens tatuados, etc., de classe média ou mais. E o uso que esse público faz não tem relação com os padrões habituais da internet corporativa”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.