Lil Castagnet
Lil Castagnet

Escritora uruguaia Cristina Peri Rossi vence Prêmio Cervantes 2021

A autora de romances e poesia se junta ao seleto grupo que tem nomes como Jorge Luis Borges, Octavio Paz e Mario Vargas Llosa

Diego Urdaneta e Alfons Luna, AFP

10 de novembro de 2021 | 15h57

Conhecida tanto por seus romances quanto por sua poesia, a uruguaia Cristina Peri Rossi ganhou o Prêmio Cervantes, o mais prestigiado prêmio da literatura em língua espanhola, anunciou na quarta-feira em Madri o Ministro da Cultura da Espanha, Miquel Iceta.

"O júri do prêmio Miguel de Cervantes de literatura em língua espanhola, correspondente a 2021, decidiu conceder este prêmio à escritora Cristina Peri Rossi", disse o ministro em uma coletiva de imprensa ao ler a decisão.

Ela escreveu quase vinte livros de poesia, quinze contos e cinco romances, o último dos quais é Todo lo que no te pude decir (2017).

Recebeu seu primeiro prêmio em 1968 em seu país, e desde então ganhou o Prêmio Internacional de Poesia Rafael Alberti (2000), o Prêmio Don Quijote de Poesia e o Prêmio Ibero-Americano de Literatura José Donoso (2019), uma lista coroada por este Prêmio Cervantes.

Em entrevista concedida ao jornal espanhol El País em 2017, ele foi perguntado a quem concederia o Prêmio Cervantes, ao qual ele respondeu: "a Cristina Peri Rossi, para que ela possa continuar escrevendo".

"Ela é bem conhecida, mas mesmo assim não resisto a dar-lhe algumas informações", disse a Ministra Iceta antes de fornecer informações sobre o escritor de 79 anos, o terceiro de seu país a ganhar o Cervantes depois de Juan Carlos Onetti e Ida Vitale.

Nascida em Montevidéu em 1941, ela publicou seu primeiro livro em 1963 e "ganhou os prêmios literários mais importantes do Uruguai", explicou a ministra. Em 1972 ela teve que deixar seu país por razões políticas e mudou-se para Barcelona, de onde teve que fugir novamente, neste caso para Paris, por alguns anos, perseguida pela ditadura de Francisco Franco (1939-1975). De nacionalidade espanhola, foi professora de literatura, tradutora e jornalista, e é professora regular em universidades espanholas e estrangeiras. 

Seu nome se une a Borges, Vargas Llosa, Paz...

Com o triunfo de Peri Rossi, a tradicional alternância anual entre autores espanhóis e latino-americanos, que havia sido quebrada em anos anteriores, retorna. Em 2020 e 2019, dois autores espanhóis ganharam consecutivamente, Francisco Brines e Joan Margarit, e em 2018 e 2017, dois autores latino-americanos ganharam, Ida Vitale do Uruguai e Sergio Ramírez da Nicarágua.

De acordo com as regras, os vencedores dos dois anos anteriores deveriam ter estado no júri para decidir o Prêmio Cervantes 2021, mas tanto Joan Margarit como Francisco Brines morreram em fevereiro e maio, respectivamente. O Prêmio Cervantes, o mais prestigioso prêmio literário em espanhol, é de 125 mil euros (cerca de 144 mil dólares).

Desde sua primeira premiação em 1976, o prêmio foi entregue a Jorge Luis Borges, Octavio Paz, Mario Vargas Llosa, Camilo José Cela, Álvaro Mutis e Eduardo Mendoza. O Prêmio Cervantes é concedido em 23 de abril, dia da morte de Miguel de Cervantes, na Universidade de Alcalá de Henares, cidade natal do autor de Dom Quixote de la Mancha. Na cerimônia solene, Peri Rossi receberá o prêmio do Rei Felipe VI e da Rainha Letizia da Espanha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.