Marvel Studios
Marvel Studios

Richard Madden e Salma Hayek defendem cena de sexo em 'Eternos'

Novo filme da Marvel quebrou paradigmas ao tratar de sexo entre super-heróis

Agências, AP

09 de novembro de 2021 | 08h06

O novo filme da Marvel, Eternos, quebrou paradigmas em uma área que o estúdio evitou por anos: sexo entre super-heróis.

É a primeira vez em 26 filmes do universo cinematográfico da Marvel que um momento íntimo conjugal é visivelmente mostrado entre dois personagens.

A cena, retratada pela diretora Chloe Zhao, já ganhou as manchetes antes do lançamento do filme nos cinemas, na quinta-feira, 4. Mas Richard Madden, que interpreta o herói Ikaris, disse que qualquer manchete focada em sexo de super-heróis é “simplesmente grosseira”.

Ele chama a “cena de amor” envolvendo seu personagem e Sersi, interpretada por Gemma Chan, de “momento íntimo”.

“Estamos tentando contar uma história de amor e tentando mostrar a intimidade e a delicadeza de pessoas que estão juntas há muitos, muitos anos”, disse Madden sobre seus personagens, que se apaixonaram há milhares de anos durante o Império Babilônico.

Ele disse que a cena marcou uma “grande parte do início do relacionamento deles”.

O casal faz parte de uma raça de seres imortais que passaram 7.000 anos na Terra defendendo o mundo de rivais conhecidos como Deviants.

“É uma bela visão deste mundo”, continuou ele. “E você sabe, em nossas cabeças como atores, posso pensar que é muito menos sobre super-heróis fazendo essa coisa e mais sobre dois personagens compartilhando um momento íntimo”.

O filme liderou a bilheteria do fim de semana, arrecadando US$ 71 milhões nos Estados Unidos, mas dividiu a crítica e o público mais do que qualquer filme anterior da Marvel Studios.

Cenas sexualmente sugestivas não foram mostradas em projetos anteriores da Marvel, especialmente porque a maioria desses filmes atrai espectadores infantis. Houve um caso de uma noite entre Tony Stark e uma jornalista em Homem de Ferro, de 2008, mas nada picante foi mostrado.

Salma Hayek, que interpreta a heroína Ajak, chama Zhao de uma “cineasta elegante”. Ela disse que a perspectiva da diretora sobre amor e sexo é diferente.

“Há uma elegância nisso”, disse Hayek, que acredita que a cena se encaixa nos temas gerais do filme, que também inclui um beijo entre personagens do mesmo sexo.

A atriz disse que o filme explora o amor e ele é representado em “diferentes reinos”.

“É o amor entre um homem e uma mulher, o amor entre um homem e um homem”, continuou Hayek. “O amor ao dever. O amor pelo planeta Terra, o amor pela amizade, o amor pela paternidade. Você sabe, ela explora o amor de maneiras diferentes. Por que não haveria cena de amor?”, finaliza.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.