Steven Hirsch/ AP
Steven Hirsch/ AP

Cuba Gooding Jr. vai declarar inocência após novas acusações de abuso sexual

Julgamento do ator estava previsto para quinta-feira, mas foi adiado

Brendan Pierson, Reuters

15 de outubro de 2019 | 15h10

NOVA YORK (Reuters) - O ator Cuba Gooding Jr. vai declarar inocência, nesta terça-feira, diante de novas acusações feitas por procuradores de Manhattan que já tinham o acusado de apalpar uma mulher em um bar, disse o advogado dele.

Gooding Jr foi acusado em junho de abusar de uma mulher, que alega que o ator tocou seus seios em um bar de Manhattan sem permissão. Ele negou a acusação e enfrenta uma sentença máxima de até 1 ano de prisão caso seja declarado culpado.

As novas acusações, que ainda não vieram a público, são parte do mesmo caso criminal, mas relacionadas a outro episódio, de acordo com o gabinete do procurador de Manhattan, Cyrus Vance.

O julgamento original de Gooding estava previsto para quinta-feira, mas as acusações adicionais adiaram a audiência, que ainda não tem nova data.

“É bastante óbvio para nós que a Procuradoria-Geral falhou em estabelecer evidências que poderiam resultar em uma condenação diante das acusações originais", disse o advogado de Gooding em uma entrevista na segunda-feira. Ele acredita que os procuradores apresentaram novas queixas em uma tentativa de adiar o caso.

“Estamos muito confiantes de que o caso será dispensado”, acrescentou.

Gooding, divorciado de 51 anos, é um dos muitos homens nos ramos da política, do entretenimento, dos esportes e dos negócios a serem acusados de abuso e assédio sexual desde que denúncias contra o produtor Harvey Weinstein aumentaram a visibilidade do movimento #MeToo.

Weinstein está previsto para ir a julgamento em Nova York ainda neste ano sob acusações de estupro e abuso de duas mulheres. Ele nega qualquer relação sexual sem consentimento.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.