Steven Hirsch/ AP
Steven Hirsch/ AP

Cuba Gooding Jr. é novamente acusado por má conduta sexual

Ganhador do Oscar de Melhor Ator Coadjuvante pelo filme 'Jerry Maguire' descobriu a outra queixa durante audiência em um tribunal de Manhattan

AFP, Agências

10 de outubro de 2019 | 16h28

O ator Cuba Gooding Jr. descobriu nesta quinta-feira, 10, que está sendo novamente acusado por má conduta sexual. O depoimento em que consta o novo incidente está sendo mantido sob sigilo. A notícia veio a público exatamente quando o júri responsável por atuar sobre outra denúncia recente de abuso contra o astro,já havia sido selecionado. Como consequência, o julgamento de Gooding Jr. precisou ser adiado até que ele seja indiciado conforme a nova alegação.

A nova queixa de má conduta sexual foi descoberta após o vencedor do Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por Jerry Maguire comparecer a um tribunal em Manhattan para uma audiência. Quem fez a revelação foi a promotora assistente Jenna Long, que mencionou apenas que os detalhes sobre o novo caso estão em uma acusação protegida sob segredo de justiça.

Quando questionada sobre os detalhes, a promotora disse ao juiz que a "acusação se refere tanto a alegações anteriores de má conduta sexual quanto a um incidente que ainda não havia sido considerado anteriormente". Nenhuma outra informação foi divulgada.

Vale lembrar que, recentemente, o ator foi acusado de apalpar o seio de uma mulher de 29 anos sem o seu consentimento no Magic Hour Rooftop Bar & Lounge, perto da Times Square. O incidente ocorreu em 9 de junho deste ano. Na ocasião, a vítima disse à polícia que acreditava que Gooding Jr. estava alcoolizado.

Ele foi preso quatro dias depois após o incidente, quando se entregou voluntariamente à polícia. Durante a audiência, se declarou inocente da acusação de abuso sexual e foi libertado.

Algum tempo depois, a defesa de Gooding Jr. chegou a pedir pelo arquivamento do caso, sob a alegação de que a acusação estava sendo julgada com base no relato de duas testemunhas que diziam que o fato nunca tinha acontecido. Como prova, eles apresentaram o vídeo do bar em Nova York, que foi a público no mesmo dia do incidente, e apontaram que, conforme podia ser visto nas filmagens, nada havia acontecido.

Os documentos entregues pela defesa de Gooding Jr. também argumentavam que, como havia evidências claras de que nenhum crime havia sido cometido, era necessário anular o caso para proteger a integridade do sistema de justiça criminal. Na época, a juíza Phyllis Chu decidiu que "as alegações conflitantes entre a promotoria e a defesa deveriam ser resolvidas por meio de um julgamento no tribunal".

No entanto, ao que tudo indica, Cuba Gooding Jr. deve ser novamente denunciado conforme a nova acusação na semana que vem, antes mesmo que o julgamento relacionado ao caso em Nova York possa começar. Ele e seus advogados deixaram o tribunal sem falar com os repórteres. Caso seja condenado, o ator pode pegar até um ano de prisão pelas acusações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.