Para o mercado, ampliar crédito depende é de juros menores

Sonia Racy

29 de junho de 2019 | 00h04

PAULO GUEDES. FOTO: FOTO: ALAN SANTOS/PR

PAULO GUEDES. FOTO: FOTO: ALAN SANTOS/PR

Efeito nulo

Ontem, em ronda telefônica entre a coluna e altos integrantes do sistema financeiro, colheu-se avaliação unânime sobre o impacto na liberação, para bancos privados, de mais de R$ 100 bilhões em depósitos compulsórios. Com objetivo, segundo Paulo Guedes, de ampliar crédito.

Praticamente nulo.

Efeito 2

Explicação: os bancos estão para lá de líquidos, o que falta é demanda. E esta poderá ser impulsionada, segundo a opinião da maioria ouvida, se a taxa de juros cair de maneira importante. Caso contrário, os empréstimos continuarão em ritmo arrastado.

Últimos serão
os primeiros?

Pode até ser que o Banco Safra tenha demorado para entrar na era das maquininhas, como se fala no mercado financeiro. Mas agora o processo está se acelerando, e muito. Ontem , a instituição financeira deu seu primeiro passo na plantação de semente rumo à criação de um banco digital.

Lançou o SafraWallet – carteira digital que permite fazer transferências, saques bancários e compras via QR. Code.

Home, sweet?

É na casa particular de João Doria que David Alcolumbre e Rodrigo Maia se hospedam neste fim de semana. Vão assistir, in loco, ao eventos do Festival de Campos de Jordão.

Habitué

Na quarta-feira à noite, Tomás Covas Lopes, filho de 13 anos do prefeito, jantou no restaurante Nino do Itaim.

Vestido com a camiseta do Grêmio, o menino se acomodou… discretamente em uma mesa. Consta que Tomás, muito próximo ao pai, adora comer ali.

Antecipando

Esta coluna publicou, dia 16 de maio, que o acordo entre Mercosul com a União Europeia sairia “dentro de 30 dias ”. Com aval já dado dos ministérios da Economia, das Relações Exteriores e da Agricultura. Pendente? Problema com os produtores de vinho do sul do Brasil.

Dia seguinte, r30ecebeu mensagens irônicas de diplomatas e economistas.

Cultura global

O Brasil assumiu a presidência da área cultura do Mercosul – ontem, em Buenos Aires. Empossado, o ministro Osmar Terra falou em “avançar parcerias estratégicas com a Aliança do Pacífico, a União Europeia e países asiáticos”.

Por enquanto, no papel, a previsão do setor é de uma Bienal da Música e uma reunião continental em Porto Alegre, em novembro.

Leia mais notas da coluna:
+ Julgamento sobre Lula pouco influencia o mercado de ações

 

 

Tendências: