J&F entra com ação nos EUA contra escritório que atuou na leniência

Sonia Racy

11 Abril 2018 | 09h40

A J&F ajuizou ontem, dia 10, nos EUA, ação contra o Trench, Rossi e Watanabe/Baker McKenzie, acusando o escritório de negligência grave na condução das negociações do acordo de leniência com o Ministério Público.

A ação – obtida pela coluna e cuja autenticidade foi confirmada pela assessoria da J&F – cita a contratação do Marcello Miller como sócio e as reuniões de que participou enquanto ainda era procurador, sem adotar medidas para assegurar que sua participação no caso não fosse considerada ilegal.

A ação pede que o Trench, Rossi e Watanabe/Baker McKenzie pague indenização por danos. De acordo com fonte ouvida pela coluna, o processo faz parte da estratégia de culpar o escritório pelas “lambanças” na contratação de Miller e, com isso, tentar preservar o acordo de delação premiada dos executivos da J&F.

Leia mais notas da coluna:

+ Marco Aurélio adia debate sobre 2.ª instância mas não tira STF do imbroglio

+ TJSP confirma decisão favorável à advogada Esther Flesch