Imagem Cristina Padiglione
Colunista
Cristina Padiglione
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Viva reúne time de grifes na releitura do 'Globo de Ouro'

Série traz repertório e boa parte do cast que fizeram história

Cristina Padiglione, O Estado de S. Paulo

08 de novembro de 2014 | 16h00

RIO - Produzido entre 1972 e 1990 pela TV Globo e reprisado recentemente pelo canal Viva, o Globo de Ouro original era quase todo feito em playback. Agora, sua releitura, bancada pelo mesmo Viva, teve seus 80 números musicais quase todos gravados com a presença de uma banda de verdade. A exceção foi Xuxa, que fez seu revival à base de playback e teve apoio de teleprompter para acompanhar as letras de um pout-pouri que somava Ilariê, Tindolelê e Tô de Bem com a Vida. “Todo mundo sabe que eu não canto mesmo”, admitiu ela ao Estado.

O Globo de Ouro Palco Viva estreia dia 17 e irá ao ar de segunda a sexta, às 23h, em dez edições. 

A reportagem visitou um dia de gravações no Teatro Tom Jobim, no Jardim Botânico do Rio, bem no dia em que a loira fez sua apresentação, sob recomendações médicas para não pular muito - a apresentadora continua usando uma bota ortopédica no pé esquerdo.

Pouco depois, veríamos Ney Matogrosso seduzir a plateia com sua Balada de Louco. “O Globo de Ouro era apenas um dos programas musicais da Globo, que hoje não tem nenhum programa musical”, registra Ney.

Sai Ney, entra Gil. Momento raríssimo foi ver o baiano cantando com três de seus filhos a música Drão, feita para a mãe de Preta Gil, que se fazia acompanhar ali dos irmãos Nara e Bem. A família comemorou a oportunidade, proposta que só não vingou antes porque cada um tem sua agenda e, cá entre nós, ninguém nunca lhes fez. 

A arte de reunir um time invejável para qualquer série musical foi obra de Berna Ceppa, expert no ramo. É ele quem assina a produção musical do programa, com roteiro de Bernardo Vilhena e Silvio Essinger, e direção de Patrícia Guimarães. A produção é da Samba Filmes. 

“A gente sabia que nunca daria conta de reunir toda a cena musical de tantos anos, mas temos um exercício constante de dar conta da memória afetiva do Viva”, diz Patrícia. 

Diretora do canal, Letícia Muhana celebra os duetos inéditos ali promovidos. “Cada pedacinho do Globo de Ouro está no esqueleto de cada programa e tivemos esses encontros extraordinários. O show da Mart’nália e com o Dafé foi de chorar. E esse encontro da família Gil, incrível”. Afora isso, há os tributos a quem passou pelo palco original e já se foi, como Tim Maia, Cazuza, Legião Urbana, Gonzaguinha, Emílio Santiago e Elis Regina.

E se a plateia jovem talvez não tenha noção de quem seja Armandinho ou A Cor do Som, tudo bem. “O Armandinho sacou que a plateia não os conhecia, de repente, ele tinha a plateia nas mãos, todos cantando. O cara leva trio elétrico, né? Foi genial”, comenta Patrícia. 

Houve também quem tenha sido convidado e não pode comparecer, casos de Marisa Monte, Arnaldo Antunes e Paralamas do Sucesso. Coisas de incompatibilidade de agendas.

A apresentação é outro achado. Seguindo a receita original, que juntava casais divertidinhos, Márcio Garcia e Juliana Paes são agora os mestres de cerimônia. “A gente queria um par que fosse conhecido por várias gerações, e deu muito certo. Eles entraram no estúdio e já pareciam que conheciam aquele texto há anos”, fala Letícia.

QUEM CANTA O QUE NO 'GLOBO DE OURO PALCO VIVA'

A Cor do Som: Zanzibar

Adriana Calcanhotto: Mentiras  Adriana Calcanhotto e Buchecha: Fico Assim Sem Você 

Alcione: Ébano e Saigon 

Ana Carolina: Garganta 

Angélica: Vou de Táxi

Anitta: O Amor e o Poder e Show das Poderosas 

Arlindo Cruz e Xande de Pilares: Pecado Capital

Baby do Brasil: Menino do Rio 

Benito di Paula: Meu Amigo Charlie Brown 

Byafra:: Leão Ferido e Ícaro 

Céu: Chuva de Prata 

Claudio Zoli: Noite do Prazer 

Dalto: Muito Estranho 

Dani Mercury: Canto da Cidade

Diogo Nogueira: Deixa Eu te Amar (tributo a Agepê)

Djavan: Oceano

Ed Motta e D. Jobim: Luiza

Eduardo Dussek, João Penca & Seus Miquinhos Amestrados e Léo Jaime: Pop Star, Rock da Cachorra e Barrados no Baile 

Elba R.: Banho de Cheiro

Elymar Santos: Eu e Você 

Emicida: Malandro é Malandro 

Fafá de Belem.: Nuvem de Lágrima

Fagner: Noturno 

Fernanda Abreu e Fausto Fawcett: Kátia Flávia 

Gaby Amarantos: Ex My Love

Gilberto Gil: Palco 

Gil, Bem, Nara e Preta Gil: Drão  Guilherme Arantes: Meu Mundo e Nada Mais, Amanhã, Um Dia Um Adeus, Deixa Chover 

Hyldon: Na Rua, Na Chuva...

José Augusto: Aguenta Coração

Kátia: Qualquer Jeito

Léo Jaime: Gatinha Manhosa 

Luiz Melodia: Codinome Beija-Flor e Juventude Transviada

Marcelo Jeneci: Menina Veneno

Maria Rita: 2 Pra Lá, 2 Pra Cá 

Mart'nalia e Carlos Dafé: Pra Que Vou Recordar 

Milton Nascimento e Wagner Tiso: Coração de Estudante

Moraes Moreira e Davi Moraes: Pombo Correio, Festa do Interior

Moreno Veloso: Chorando Se Foi

Mumuzinho: Pôxa 

Nação Zumbi: Admirável Gado Novo

Ney Matogrosso: Balada do Louco

Panamericana: Flores, Maior Abandonado e Tempo Perdido

Patricia Marx: Te Cuida Meu Bem

Peninha: Sonhos 

Pepeu Gomes: A Flor do Desejo  Péricles: A Lua e Eu 

Roupa Nova: Dona, A Viagem e Whisky a Go Go

Sandra de Sá: Gostava Tanto De Você e Não Quero Dinheiro, Olhos Coloridos

Sidney Magal: Me Chama Que Eu Vou 

Thiaguinho: Caraca, Muleke, Será e Pais e Filhos 

Tono: Ouro de Tolo 

Tulipa Ruiz: Mania de Você 

Wanderléa: Foi Assim 

Xuxa: Ilariê, Tindolelê

Yahoo: Mordida do Amor 

Zeca Pagodinho: Deixa a Vida Me Levar

Zezé e Luciano: É o Amor 

Zizi Possi: Asa Morena 

Tudo o que sabemos sobre:
Globo de OuroViva

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.