Paulo Belote/Divulgação
Paulo Belote/Divulgação

Vinheta da Globo ganha versão de coral canadense

Dupla Choir! Choir! Choir! foi responsável por reinventar ‘Um Novo Tempo’ sem nunca tê-la ouvido antes

Luiza Pollo, O Estado de S.Paulo

12 de novembro de 2016 | 17h00

Sem produções épicas ou cenários deslumbrantes, a vinheta de fim de ano da Rede Globo em 2016 será mais ‘crua’. Depois de 45 anos em exibição, a mensagem que nos lembra de que “o futuro já começou” deve soar um pouco diferente. 

Neste ano, a dupla canadense Daveed Goldman e Nobu Adilman, do Choir! Choir! Choir!, foi contratada para fazer o arranjo e reger o coro de mais de 1.200 pessoas, entre artistas, jornalistas e convidados. “Nós não queremos que soe como um coral tradicional. Nós queremos que as pessoas cantem como cantariam em casa, mas todas ao mesmo tempo”, diz Nobu.

É isso que faz o Choir! Choir! Choir! nos fundos de um bar em Toronto, duas vezes por semana, no que chamam de ‘sessões’. Centenas - ou às vezes milhares de pessoas nas sessões especiais - aprendem uma versão personalizada da música, são divididas pelo timbre, e cantam. Além dos encontros semanais, eles já participaram, entre outros, do TEDx Toronto e do Festival Internacional de Cinema de Toronto.

A dupla tem sua própria organização. Nobu gosta de chamá-la de ‘caos controlado’. “Acho que o original é mais a forma como nós ensinamos a música. Se você vem para uma noite do Choir! Choir! Choir!, você acaba conhecendo nós dois. No fim das contas, é para se divertir”, afirma Daveed.

Esse foi o clima que eles criaram - ou tentaram criar - nas gravações da Mensagem de Fim de Ano da Globo. Os músicos contam que se divertiram bastante, mas a barreira da língua atrapalhou a comunicação com os ‘cantores’, apesar de terem uma equipe de tradução que repassava as instruções em português. 

“De vez em quando, arrancávamos uma risada, mas era a parte mais difícil de todas, não poder se comunicar”, diz Daveed, acostumado a fazer piadas com quase tudo que diz.

Idioma. Além da comunicação, a língua portuguesa foi uma barreira também na hora de adaptar a música. Eles nunca tinham feito uma sessão com uma canção que não fosse em inglês, e Nobu conta que escreveu a letra foneticamente para aprender a cantar.

Durante a gravação, a dupla já estava tão acostumada com a sonoridade que conseguiu perceber nuances e ‘vícios’ de entonação dos participantes em algumas palavras. “Tem uma memória muscular que age em músicas tão conhecidas assim. Levou um tempo para ensinarmos o grupo que ia cantar uma parte diferente”, relata Nobu. 

E foi preciso ensinar tudo bem direitinho, já que o som veiculado será o que foi captado no dia. A intervenção será mínima, apenas para juntar o áudio dos dois grupos de gravação.

Estilo. “Quando chegamos ao hotel e mencionamos que iríamos gravar essa música, a pessoa que estava na recepção já começou a cantar. Todo mundo conhece, é quase como um passaporte aqui”, notou. Mesmo assim, a dupla afirma que conseguiu trazer seu próprio estilo e que este ano a vinheta vai trazer um sentimento diferente. “Estou animado por termos conseguido fazer isso de um jeito novo. Espero que nos leve a fazer mais coisas legais com pessoas que não entendem o que estamos dizendo”, brinca ainda Daveed.

Visual. O cenário de gravação acompanha a proposta da vinheta mais ‘crua’. Grandes faixas com palavras como ‘respeito’ e ‘sonhar’ são a única decoração presente. “Eu estava esperando entrar em um cenário mais produzido e que as pessoas estivessem arrumadas. E fiquei aliviado que não foi assim. Isso nos deixou mais confortáveis”, relata Nobu.

Além das novidades na música, a Mensagem de Fim de Ano da Globo terá uma seção online. Serão veiculados, no canal do YouTube da emissora, vídeos com personagens que tiveram suas histórias contadas ao longo do ano na TV. Todos são cidadãos comuns que, de alguma forma, ajudaram a mudar a vida de outros brasileiros para melhor.

Eles também participaram da gravação da música, assim como alguns convidados dos atores e jornalistas, que puderam levar uma pessoa que fez diferença em suas vidas.

A campanha de 2016 conversa diretamente com a plataforma ‘Tudo Começa pelo Respeito’, lançada pela Globo em agosto deste ano, em parceria com Unesco, Unicef, Unaids e ONU Mulheres. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.