Vilão é vilão, mocinho é mocinho

Todo mundo pode um dia estar explodindo de felicidade e, no outro, acordar querendo matar o primeiro que cruzar em sua frente. No entanto, em quem sofre de Transtorno Bipolar ou Distúrbio Bipolar de Humor, como também a doença é conhecida, as mudanças de temperamento são mais extremas que aquelas experimentadas pelas pessoas comuns. E mais sérias também que a brincadeira acima, feita com os personagens de novelas."O bipolar alterna fases de depressão com fases de hiperatividade que pode ser felicidade extrema ou irritabilidade e agressividade", explica o professor de Psiquiatria da Unifesp, José Alberto Del Porto. "O transtorno também leva a fases de impulsividade e exacerbação. O doente pode sair dirigindo perigosamente ou comprando sem parar."Segundo o especialista, estima-se que a forma clássica da doença atinja 1,5% da população. As causas, que podem ser biológicas, genéticas e sociais ainda não são inteiramente conhecidas. "Hoje há muitos tratamentos eficientes para controlar o problema", fala Del Porto. O médico ainda deixa claro que o bipolar tem alterações de humor, não de caráter. Portanto, vilões que viram santinhos e mocinhos que se tornam vilões em novelas provavelmente sofrem de outro mal: transtorno bipolar de ibope.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.