National Geographic Channels/Kent Eanes
National Geographic Channels/Kent Eanes

Uma nova visão sobre a vida do filho de Deus

Nat Geo apresenta 'Quem Matou Jesus?', telefilme inédito que mostra Jesus de Nazaré como articulador político

Gabriel Perline, O Estado de S. Paulo

29 Março 2015 | 03h00

A história não é nova, portanto os eventuais spoilers não comprometem o enredo de Quem Matou Jesus?, telefilme do Nat Geo adaptado do best-seller Killing Jesus (2013), de Bill O’Reilly e Martin Dugard. Com estreia simultânea nos Estados Unidos e demais países em que o canal atua, a produção será transmitida hoje, 29, às 20h, e promete trazer um novo ponto de vista sobre o contexto da vida e morte de Jesus de Nazaré, mostrando-o como um tipo de articulador político, sem deixar de lado sua representatividade divina.

“Este filme é focado na figura humana de Jesus”, explica a atriz Emmanuelle Chriqui, intérprete de Herodias, em entrevista ao Estado. “É completamente diferente de todos os outros filmes que já assisti sobre o tema. Além de contextualizar o período social e político, você consegue ver o que acontece com este homem e como as pessoas reagiam à sua maneira de pregar o amor. Mesmo sabendo que se trata de um ser divino, o público verá um Jesus mais humanizado.”

Considerada pela própria National Geographic Channel como sua principal estreia do ano, a produção tem números impressionantes. Filmado em uma área remota do território marroquino, com custo estimado em R$ 38,5 milhões, Quem Matou Jesus? levou ao país africano uma equipe de 250 pessoas para passar 37 dias na região. Deste grupo, 93 são atores que aparecem nos créditos da produção, interpretados por profissionais de diferentes nacionalidades. A preocupação com os detalhes foi tão grande que, em vez de recorrer a efeitos de edição, decidiu-se contratar 4.500 figurantes para dar volume às cenas externas. 

"Filmar em Marrakech foi como viajar no tempo"

No papel de Herodias, a canadense Emmanuelle Chriqui esteve pela primeira vez em Marrocos, terra natal de seus pais

Canadense, filha de marroquinos praticantes do judaísmo ortodoxo, a atriz Emmanuelle Chriqui nunca esteve no país de origem de seus pais até filmar Quem Matou Jesus?. “Me senti como uma estranha em um local desconhecido”, disse ao Estado, em entrevista por telefone. “Eu não tenho mais parentes vivendo em Marrocos e infelizmente não conheci a região de Casablanca, que foi onde meus pais nasceram. Mas foi uma sensação maluca estar ali e certamente voltarei para conhecer melhor. Filmar em Marrakech foi como viajar no tempo e voltar aos tempos bíblicos”, avalia.

No telefilme do canal Nat Geo, Emmanuelle interpreta a controversa Herodias. Casada com seu tio, Herodes Filipe – com quem teve Salomé –, ela chocou a população ao trocar o marido por seu cunhado - e também tio -, Herodes Antipas. “Ela é uma mulher extremamente ambiciosa e controladora. Conseguia fazer suas vontades se tornarem reais, mesmo em um período em que as mulheres não podiam exercer nenhum tipo de poder”, explica.

A relação foi deflagrada por João Batista, que condenou a união do casal, acusando Herodias e Antipas de incesto. Era tão influente que ela articulou a morte e prisão do delator. “Penso que se fosse viva hoje, ela seria CEO de alguma grande empresa. Era muito inteligente e articulada.”

Mais conteúdo sobre:
Televisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.