Um Woody Allen dos bons tempos

Em Scoop - O Grande Furo, diretor brinca com humor e suspense para criar um divertimento

Ubiratan Brasil, O Estado de S.Paulo

17 de maio de 2008 | 22h30

Os dilemas morais tornaram-se uma marca dos filmes de Woody Allen, tanto na comédia como no drama. Basta observar o denso Sonho de Cassandra, em cartaz nos cinemas de São Paulo, ou mesmo, em escala menor, em Scoop - O Grande Furo, comédia que o antecedeu e que agora a Califórnia disponibiliza para a venda em DVD.Aqui, jovem estudante de jornalismo (Scarlett Johansson), enquanto visita Londres, acaba conhecendo o espírito de um grande repórter recém falecido. O contato acontece durante uma sessão de magia comandada por um vigarista (Allen). O espírito lhe passa um furo jornalístico a ser investigado: o assassino de mulheres que assusta a cidade é o filho de um nobre (Hugh Jackman), suspeito que poucos desconfiam.Mesmo descobrindo evidências, a moça se envolve com o rapaz duvidando de que ele seja culpado. Eis um prato cheio para Allen brincar com tiradas de suspense e humor, criando uma trama envolvente e, ao mesmo tempo, muito divertida. Os críticos torcem o nariz para o que seria uma carreira estacionada do diretor. Seja como for, um Allen menor ainda supera a média.

Tudo o que sabemos sobre:
WOODY ALLENSCOOPSCARLETT JOHANSSON

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.