Juliana Coutinho
Juliana Coutinho

Um novo time toma conta do ‘Papo de Segunda’ 

No comando, Fábio Porchat, João Vicente de Castro, Francisco Bosco e Emicida

Eliana Silva de Souza, O Estado de S.Paulo

05 Março 2018 | 10h00

Que tal uma boa conversa com gente animada e divertida sobre temas atuais e por vezes complicados? Pois é o que costuma rolar no programa Papo de Segunda, que a partir desta segunda-feira, 5, inicia uma nova fase, sob o comando do humorista e apresentador Fábio Porchat. Completam o time João Vicente de Castro, único remanescente do anterior, o poeta e filósofo Francisco Bosco e o rapper Emicida. O horário é o mesmo, às 22h30, no GNT.

“É muito legal estar num programa de debates nesse momento de discussões acaloradas. A ideia é exercitar o diálogo, e estaremos aqui para ouvir e entender, em uma mistura de trabalho com estudo”, conta Porchat, sobre a nova fase da atração, explicando que todos recebem dicas de artigos e livros dos roteiristas e, antes do primeiro episódio, o quarteto teve alguns encontros. “Fizemos um piloto para a gente se entender e rolou uma empatia, uma discussão com afeto”, afirma. 

Fábio Porchat vai se desdobrar mais uma vez: agora no mesmo dia ele surgirá em dois canais, em horários diferentes. “Hoje à 0h15 vai estrear a nova temporada do meu programa na Record, que é gravado às segundas e quartas, das 14h30 às 20h, de onde vou sair direto para o GNT para fazer o Papo de Segunda, que é ao vivo.” 

O humorista e apresentador, além de ator, de fala ligeira e pensamento idem, não vai deixar de lado seus outros projetos. Pelo contrário. “Tenho o Porta dos Fundos, que vai lançar um série ainda este ano, tenho meu programa de viagens aqui no GNT e, em novembro, lanço um filme com a Dani Calabresa”, avisa o rapaz. Mas e novelas, já pensou em atuar em alguma? “Tá querendo acabar com meu casamento?? (risos) Mas não, não é minha prioridade.”

Com tantas atribuições, tantos projetos em diversas áreas, Porchat se esforça para conseguir um tempinho para o lado pessoal. “Tenho que ter um tempo para mim, sou casado, pelo menos já achei uma mulher, não preciso correr atrás de uma.”

O humorista faz questão de ressaltar que só consegue ser um homem múltiplo dessa forma, realizar tantos projetos, porque conta com a ajuda de várias pessoas. “Consigo fazer tudo o que faço porque tenho um monte de gente à minha volta para me ajudar. Não preciso lavar roupa, não faço compras, não fecho meus contratos. Tem todo um time à minha volta, tenho um monte de gente legal do meu lado. Minha mãe, por exemplo, cuida das minhas redes sociais”, afirma ele, feliz por ter um novo projeto.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.