Um brinde a Didu, banqueiro do povo

Eu bem que tentei esquecer um pouco as tramóias de A Favorita. Não deu. Passei por Três Irmãs, mas o único personagem que diverte mesmo ali é o atrapalhado Chuchu (Otávio Augusto). Os bombeiros de Chamas da Vida vão bem, obrigado, com a audiência começando a firmar. Retornei pra novela de João Emanuel Carneiro, o que não foi nenhum sacrifício. Afinal, é sempre gratificante ver Tarcísio Meira, Ary Fontoura, Cauã Reymond e Murilo Benício aproveitando as boas cenas que recebem do autor.O chato é quando aparecem subtramas marotas, desviando a atenção. O Tesouro do Povo, do ex-cachaceiro Diduzinho Rosa (Fabrício Boliveira), é uma estrela da categoria. Pelo vaivém da novela, o rapaz curou-se milagrosamente do alcoolismo e decidiu fazer justiça com as próprias mãos, surrupiando o dinheiro que o pai guardava em casa e distribuindo empréstimos a rodo entre os pobres de Triunfo. Seria um Robin Hood étnico, se não fosse um detalhe: o dinheiro teria sido supostamente surrupiado do povo. Tudo assim, meio vago. O deputado recebeu uma propina, embolsou uma graninha e, ao contrário de muitos por aí, não correu para depositar a bufunfa no exterior. Romildo Rosa (Milton Gonçalves) está pagando o pato por ser nacionalista e acreditar no cofre doméstico. A intenção é louvável - devolver o que nos foi roubado descaradamente por políticos canalhas é mesmo um sonho - mas será que isso não é bastante discutível eticamente? Não sou candidato à canonização, mas roubar aqui pra vingar um furto do passado não me deixa satisfeito. Roubo é roubo. Eu não dormiria tranqüilo.Assim como também perderia meu sono saber que, por um empurrão num botequim, eu teria provocado a perda dos movimentos de uma pessoa. Mesmo que essa pessoa fosse um sujeito que tivesse me traído. Caramba, o prefeito bacaninha Elias (Leonardo Medeiros) empurrou o ex-amigo Damião (Malvino Salvador) e o rapaz ficou paraplégico. E até agora ninguém se preocupou em levar o alcaide à polícia. E ele, que sempre foi de uma lisura elogiável, esperneia, mas acaba se ajeitando nos braços da sua madame Bovary particular. As coisas andam bem confusas na cidade de Triunfo...e-mail: mvianinha@hotmail.com

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.