Um amor mais forte que o esquecimento

Adaptado do conto de Alice Munro, Longe Dela trata de um casamento abalado pela doença

ANTONIO GONÇALVES FILHO, O Estado de S.Paulo

23 de agosto de 2008 | 22h14

Alice Munro é uma voz única na literatura canadense, uma autora cuja sensibilidade rivaliza com seu talento para a secura com que descreve situações extremas. Um de seus contos , The Bear Came over the Mountain, foi adaptado pela jovem e talentosa atriz, diretora e cantora, também canadense, Sarah Polley, indicada para o Oscar de melhor roteiro deste ano por Longe Dela, cujo DVD, distribuído pela Fox Home, chega às locadoras no dia 3 de setembro.Dois ótimos atores, Julie Christie e Gordon Pinsent, defendem os papéis de Fiona e Grant, casal com uma duradoura relação amorosa de 44 anos que, subitamente, vê o casamento desmoronar quando a mulher passa a apresentar sintomas típicos de Alzheimer. Uma decisão conjunta do casal leva Fiona a uma casa de saúde para portadores de doenças degenerativas, onde ela conhece Aubrey, paciente em estado avançado do mesmo mal. Apaixonada pelo novo companheiro, ela esquece o marido que, a despeito do sofrimento provocado pela doença da mulher, faz de tudo para manter Aubrey ao lado de Fiona quando a esposa do mesmo decide tirá-lo da instituição.Parábola delicada sobre o sacrifício amoroso, Longe Dela revela uma diretora de 29 anos que estreou no cinema aos quatro, fazendo filmes natalinos para a Disney.

Tudo o que sabemos sobre:
longe delasarah polley

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.