TV Cultura anuncia demissão de 150 funcionários

Emissora passa por processo de reestruturação, diz comunicado

Jotabê Medeiros - O Estado de S. Paulo,

07 de fevereiro de 2011 | 13h02

A TV Cultura confirmou em nota divulgada nesta segunda-feira, 7, a demissão de cerca de 150 funcionários de seus quadros. Segundo comunicado oficial, a redução se deve "a um projeto de reestruturação da emissora, adequando a grade de programação à capacidade instalada, redução de custos e investimentos em novos programas".

 

A reformulação prossegue na política de enxugamento de João Sayad, atual presidente da Fundação Padre Anchieta (FPA, gestora da TV Cultura), que assumiu há 7 meses. As demissões começaram em agosto, quando ele informou os planos de cortar 450 pessoas (chegou-se a especular que seriam 1,4 mil), além de encerrar os serviços terceirizados da fundação (gravações, por exemplo, para a TV Assembleia, TSE, Procuradoria da República e TV Justiça) e finalizar contratos. De acordo com Sayad, em 24 horas de programação, a TV Cultura só produzia 6 horas de conteúdo próprio, o que considerava muito pouco para o tamanho da folha salarial.

 

Segundo a TV Cultura, a fórmula para demitir mais 150 funcionários foi baseada "nas propostas feitas pelos gestores de cada uma das áreas envolvidas", e a comunicação da dispensa "foi feita individualmente a cada funcionário". Fontes não oficiais dizem que as demissões desta vez estão distribuídas igualmente por toda a emissora, incluindo a Rádio Cultura, que teve 10 pessoas desligadas. No jornalismo, houve também diversas dispensas. Três diretorias foram atingidas - deixaram a emissora os diretores de engenharia, José Chaves; de administração, Celso Tadeu; e de produção independente e aquisições, Wagner LaBella. Também foi demitido o único auditor da Fundação - o cargo deverá ser extinto.

 

Sérgio Ipoldo, do Sindicato dos Radialistas, diz que a direção da emissora não deixou claro se o corte se resumiria a essas 150 pessoas ou se teria uma nova etapa. "O clima aqui está pesadíssimo, as pessoas nesse momento estão se despedindo", afirmou Ipoldo.

 

As demissões, apesar de não lineares, parecem atingir 10% de todos os setores. A Fundação Padre Anchieta informou que "pagará integralmente todos os direitos rescisórios, valorizando e respeitando a dedicação e trabalho realizado na empresa por esses colaboradores".

 

O sindicato dos radialistas estima que, agora, a TV Cultura esteja com cerca de 900 funcionários.

 

* Atualizada às 17h30

Tudo o que sabemos sobre:
tv cultura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.