Truffaut despede-se de seu alter ego

O Amor em Fuga encerra a série com Antoine Doinel; DVD é da Versátil

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

17 de setembro de 2007 | 12h36

Quinto e último filme da série com o personagem Antoine Doinel, sempre interpretado por Jean-Pierre Léaud, O Amor em Fuga encerra a trajetória do herói que começou autobiográfico para o diretor François Truffaut e, depois, converteu-se em seu alter ego, para que ele pudesse continuar falando do amor (e das mulher).No primeiro filme, Os Incompreendidos, de 1959, Doinel ainda era um garoto que vivia uma infância complicada, com problemas em casa e na escola, exatamente como Truffaut, que chegou a ser enviado para um reformatório.Vieram depois o episódio de O Amor aos Vinte Anos e os longas Beijos Proibidos, Domicílio Conjugal e, finalmente, quase 20 anos depois, em 1978, O Amor em Fuga, completando as experiências deste homem que sempre espera mais da vida do que ela está lhe dando. O problema de Truffaut é que ele era um romântico que desconfiava do romantismo e um homem que amava as mulheres, no geral, sendo instável demais para se decidir por uma, apenas. Em O Amor em Fuga, Doinel se divorciou e agora encara o que lhe parece sua última tentativa para ser feliz. Belas mulheres e atrizes, Marie-France Pisier e Claude Jade, completam o elenco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.