Tricolor gay dá pinta na web. Só a TV não vê

Cena de 'A Favorita' que é hit na internet indica que espaço virtual virou a 'rua do século 21'

Gustavo Miller, O Estado de S.Paulo

29 de novembro de 2008 | 21h30

Embora a frase que Milton Neves eternizou diga o contrário, torcer para o São Paulo não é grande moleza. O.K., isso soa exagero num domingo em que o tricolor paulista tem tudo para ser hexacampeão brasileiro. Mas é que, durante este mês, o escritor João Emanuel Carneiro fez os são-paulinos dormirem com a cabeça inchada.A "culpa" é de sua novela, A Favorita, na Globo. Especificamente, de uma cena exibida no dia 30 de outubro. Halley (Cauã Reymond) presenteia a grávida Céu (Deborah Secco) com um macacão do Corinthians e diz que levará o rebento desde pequeno ao estádio para acompanhar o Timão. Aí, o homossexual Orlandinho (Iran Malfitano) acalma os ânimos da dupla e diz que é melhor esperar o bebê nascer para que ele decida para que time vai torcer. E arrisca: "Porque eu acho que ele vai ser são-pau-li-no!"Para quê? Os adversários fizeram a festa. No dia seguinte, o vídeo da cena já era hit no YouTube (mais de 300 mil acessos) e comunidades como "Orlandinho é são-paulino" ou "Orlandinho é bambi" começaram a pipocar no Orkut. Pelo microblog Twitter, o link do vídeo bombou por semanas.Em defesa do time, são-paulinos mais exaltados enviaram cartas e e-mails de protesto à Rede Globo e pediram que o clube se manifestasse. O próprio Carneiro, sarcástico na hora de escrever a cena, não olhou direito para o fenômeno midiático e enterrou o assunto: "Em momento nenhum minha intenção foi a de criar polêmica. A escolha do time foi totalmente aleatória." A Globo, por meio de sua assessoria de imprensa, alega que o assunto é antigo e que o autor não quer mais falar nisso.Porém, o vídeo ainda rende nas mãos dos internautas. No YouTube, há uma versão hilária (http://tinyurl.com/5cksy5), da cena, que brinca com uma frase de Manoel Carlos: "as novelas fazem sucesso simplesmente por trazerem a realidade do cotidiano que vivemos."Essa brincadeira pode servir de lição para quem trabalha com TV no Brasil. A internet é hoje o que um dia foi a rua. É nela que rola o boca-a-boca. Uma "polêmica" dessas, que virou hit na web, pode trazer um novo público (jovem) para a novela, que hoje pouco vê a TV dialogando com a sua mentalidade. As produções norte-americanas já sacaram isso e misturam às suas tramas elementos que possam ser virais na internet. Em The Office há vários toques do gênero. Um caso famoso é o blog do personagem Creed, citado rapidamente na série uma única vez. Os produtores do seriado pegaram a informação e criaram um blog do Creed de verdade! A cena foi exibida há dois anos e o blog está vivo até hoje. E faz o maior sucesso!Em vez de só pensar em criar bordões que emplaquem nas ruas brasileiras, os teledramaturgos nacionais bem que podiam olhar com mais carinho para essa "rua do século 21". Seu potencial é enorme.

Tudo o que sabemos sobre:
'A Favorita'São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.