Trabalho duro até debaixo d?água

Com duração de apenas 1:15 minuto, a abertura da novela do SBT não foi gravada no fundo do mar

ALLINE DAUROIZ, O Estado de S.Paulo

08 de agosto de 2009 | 23h53

Quem vê a moça da abertura de Vende-se um Véu de Noiva, novela do SBT, nadando no oceano, não imagina o trabalho que deu gravar só esse 1:15 minuto. "As cenas poderiam ser captadas no mar, na piscina com fundo verde ou com superventiladores simulando a água", diz o diretor do Departamento Visual da emissora, Fernando Pelégio.

Como o orçamento era curto, a ideia de gravar num mar cristalino - o ideal seria no Caribe - foi descartada. Os ventiladores foram a opção mais barata, mas, para dar veracidade, uma modelo-nadadora foi contratada, a fim de ficar com olhos abertos embaixo da piscina.

Para o feito, foi preciso alugar uma câmera ultratecnológica ("A câmera RED tem oito vezes mais resolução que a HD e foi usada em filmes como Anjos e Demônios", diz Pelégio) e chamar um especialista em imagem subaquáticas, o presidente da Associação Brasileira de Cinematografia, Roberto Faissal. A conta: três dias inteiros de gravação e três vestidos de noiva detonados pelo cloro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.