Divulgação/NBC
Divulgação/NBC

"Todo mundo se sente uma má pessoa de vez em quando", diz Jennifer Lopez

Em entrevista ao Estado, atriz fala que por isso se identifica com sua personagem em ‘Shades of Blue’, que estreia 2ª temporada no dia 6

Mariane Morisawa, ESPECIAL PARA O ESTADO

02 Abril 2017 | 17h52

NOVA YORK - Jennifer Lopez está em todas as partes. Até outro dia, foi jurada do American Idol. Assinou novo contrato para lançar álbuns e prepara um novo trabalho em espanhol com participação de Roberto Carlos, com quem também gravou, em português, Chegaste. Faz residência em Las Vegas por três anos, somando 120 shows. Estreia um novo programa de competição, agora de dança, chamado World of Dance, em maio. E ainda estrela e produz a série Shades of Blue, que chega à sua segunda temporada no Brasil na quinta-feira, 6, às 23h, no Canal Universal. “Ter sido atleta e dançarina ajuda muito, tenho disciplina e foco para trabalhar duro”, disse em entrevista em Nova York. “Tenho muita vontade de crescer, ser melhor, fazer mais coisas. Sou apaixonada pelo que faço.”

Não que ela não tenha hesitado: o canal NBC, que exibe a série nos Estados Unidos, insistiu bem uns três anos para que aceitasse o papel. “Não estava pronta para voltar à televisão”, contou Lopez. “Faço muitas coisas, tenho dois filhos, não via como. Mas negociamos e deu certo. E fico feliz de ter aceito, fazia tempo que não interpretava uma personagem assim”, lembra.

Em Shades of Blue, Lopez é a detetive Harlee Santos, que participa de um esquema corrupto da polícia liderado pelo seu mentor, Matt Wozniak (Ray Liotta). Na primeira temporada, o Agente Stahl (Warren Kole), do FBI, fica no pé dos dois e Harlee acaba traindo seu time, composto por outros policiais, como Tess Nazario (Drea de Matteo). No segundo ano, ela vai lidar com as consequências disso. “Harlee precisa se equilibrar numa corda bamba, enquanto Woz (Liotta) está numa montanha-russa, e o grupo está explodindo”, disse a atriz. “Todo mundo está questionando a lealdade do outro.”

Liotta diz que Woz começa a temporada decepcionado com Harlee, mas, logo, vai perceber que a meta do FBI é pegar gente bem mais poderosa que ele. O ator, conhecido por papéis no cinema, como em Os Bons Companheiros (1990), de Martin Scorsese, está animado com a série, que alcança boa audiência, ao contrário das produções independentes em que andava atuando. “Apesar de, nos Estados Unidos, estar em um canal aberto, a intenção era competir com a televisão por assinatura”, afirmou. Mesmo assim, chocou-se ao descobrir que seu personagem teria cenas de beijo com outro homem. “Não me incomodou, achei interessante alguém como eu fazer isso e acredito que o público se surpreendeu”, explica Liotta. 

Lopez também fica surpresa com os caminhos de sua personagem, mas se identifica. “Todo mundo se sente uma má pessoa de vez em quando”, disse. “Mas Harlee é uma mãe dedicada, que faz tudo por sua filha, e isso eu entendo. Por isso, o papel me cabe tão bem.” 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.