Toda graça de Lloyd

Ícone do cinema mudo, comediante tem seus filmes resgatados em cinco caixas de DVDs

Antonio Gonçalves Filho, O Estado de S.Paulo

21 de março de 2009 | 23h26

Entre os comediantes do cinema mudo, três nomes se destacam: Chaplin, Buster Keaton e Harold Lloyd (1893-1971). Prolífico, o último realizou 206 filmes entre 1913 e 1947, alguns deles clássicos como O Homem Mosca (Safety Last, 1923) e O Menino da Vovó (Gradma''s Boy, 1922).

Uma coleção de DVD com versões restauradas dos dois citados clássicos e outros grandes filmes de Lloyd acaba de chegar ao mercado brasileiro pelo selo Cinemax. São cinco caixas (lançadas nos EUA há quatro anos pela New Line Cinema) com comédias de curta e longa duração, como O Menino da Vovó. Nele, o queridinho da vovó vai servir num destacamento e, para variar, atrai novamente problemas, sendo injustamente acusado de roubo. Com a ajuda da velha senhora, o ex-covarde Harold vai atrás do bandido e, naturalmente, vira herói.

Lloyd encarnou o tipo em vários de seus filmes. O mais conhecido é O Homem Mosca, em que um jovem interiorano parte para a cidade grande, começa a trabalhar numa loja de departamentos e acaba escalando um edifício quando o "homem-mosca" destacado para a missão arranja outro compromisso. A cena em que Lloyd fica preso a um dos ponteiros do relógio da loja virou um dos momentos históricos do cinema. Imperdível.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.