Chris Pizzello/Invision/AP
Chris Pizzello/Invision/AP

'The Marvelous Mrs. Maisel' se consagra no Emmy com 5 estatuetas

Série de comédia da Amazon foi reconhecida e sai com o maior número de prêmios da noite; 'Game of Thrones' levou a categoria de melhor série de drama

EFE

18 Setembro 2018 | 09h05

LOS ANGELES — A série Maravilhosa Sra. Maisel (Marvelous Mrs. Maisel) foi a grande vencedora da 70ª edição do Prêmio Emmy, realizada na noite de segunda-feira, 17, no Teatro Microsoft, em Los Angeles, conquistando cinco estatuetas na categoria comédia.

A produção da Amazon passou como um rolo compressor pela categoria, levando o prêmio de melhor série, atriz protagonista (Rachel Brosnahan), atriz coadjuvante (Alex Borstein), melhor direção e melhor roteiro (ambos para Amy Sherman-Palladino).

Em seu discurso de agradecimento, Rachel Brosnahan destacou que a série fala sobre uma mulher que tenta "encontrar sua voz" e pediu que os cidadãos americanos façam o mesmo e se registrem para votar nas eleições legislativas de novembro.

Bill Hader (Barry) ficou com o prêmio de melhor ator de comédia, superando o principal candidato Donald Glover (Atlanta).

O principal prêmio da noite ficou com Game of Thrones, eleita a melhor série dramática. A produção da HBO também ficou com a estatueta de melhor ator coadjuvante de drama, com Peter Dinklage.

Foi a terceira vez que a obra baseada nos livros de George R. R. Martin conquistou o prêmio de melhor série dramática. As outras vezes foram nas edições de 2015 e 2016. No ano passado, Game of Thrones não participou por conta do atraso de sua sétima temporada.

"O show não existiria sem a loucura mágica de George R. R. Martin", reconheceu David Benioff, um dos criadores da série ao lado de D. B. Weiss, afirmando que Game of Thrones é "tão boa como as pessoas que nela trabalham".

Claire Foy, a rainha Elizabeth II de The Crown, surpreendeu a todos ao derrotar Elisabeth Moss de O Conto da Aia, série que foi uma das derrotadas da noite, e ficar com o prêmio de melhor atriz dramática.

Por outro lado, Matthew Rhys se despediu da melhor maneira de The Americans, ao conquistar o prêmio de melhor ator dramático na série que chegou ao fim este ano após seis temporadas. Ele dedicou a estatueta a sua esposa tanto na produção como na vida real, a atriz Keri Russell.

O Assassinato de Gianni Versace: American Crime Story levou a estatueta de melhor série limitada e seu produtor executivo, Ryan Murphy, dedicou o prêmio às vítimas de crimes de ódio na comunidade LGBT.

A cerimônia também contou com alguns prêmios fictícios chamados "Emmy de Reparação", que reconheciam o trabalho de atores negros veteranos que não tinham sido agraciados.

Os prêmios foram os primeiros após o movimento #MeToo e a avalanche de escândalos sexuais que traumatizaram Hollywood. Então os apresentadores, Colin Jost e Michael Che, deram as boas-vindas aos talentos de Hollywood "que não foram pegos ainda".

A cerimônia teve momentos de grande emoção, como a participação da lenda Betty White.

E também houve espaço para risos e humor. "Já podem ir para a cama. Papai ganhou", disse o veterano Henry Winkler (Barry) aos seus filhos, após vencer o Emmy de melhor ator coadjuvante de comédia.

"Eu não posso mais andar na rua, mas obrigado por mudar minha vida", disse o ator Peter Dinklage, aos responsáveis por Game of Thrones.

Mas por mais risos e lágrimas que aconteceram no Teatro Microsoft, ninguém superou Glenn Weiss, que, após levar o Emmy de melhor direção em especial de variedades pela última cerimônia do Oscar, aproveitou seu discurso de agradecimento para pedir em casamento sua namorada Jan Svendsen, que estava entre o público e disse "sim, quero".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.