Tensão de Vôo United 93 incomoda

Vôo United 93. No Telecine Action, às 22 horas. Reprise, colorido, 111 min.

Ubiratan Brasil, O Estado de S.Paulo

17 de maio de 2008 | 22h30

A ação é a cartilha pela qual o diretor Paul Greengrass melhor trabalha - basta observar A Supremacia Bourne e O Ultimato Bourne, em que transforma o personagem de Matt Damon na representação do moderno herói de ação. Greengrass prefere um outro tipo de ação para recriar um recente momento trágico: em Vôo United 93 (não por acaso programado para o Telecine Action, às 22 horas), ele reproduz os angustiantes minutos finais do avião que se dirigia para a Casa Branca naquele dia 11 de setembro de 2001.Como dispunha de pouco material (basicamente o depoimento de parentes das vítimas), Greengrass preferiu a narrativa nervosa, detalhando os acontecimentos, do embarque dos terroristas no avião até a tomada de seu comando, provocando pânico entre os passageiros. Enquanto a viagem é desviada para a Casa Branca, todos descobrem, estarrecidos, os ataques ao World Trade Center, o que os incita a um ato de bravura, provocando a queda da aeronave antes de atingir seu alvo. Marcado por uma tensão interminável, o filme incomoda.

Tudo o que sabemos sobre:
paul greengrassvôo united 93

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.