Divulgação
Divulgação

Temporada de 'Two and a Half Men' é cancelada após insultos de Sheen

Oitava temporada da série terá apenas 16 espisódios; futuro da produção é incerto

AP

25 de fevereiro de 2011 | 11h27

Após uma incendiária entrevista com o astro da série Two And a Half Men Charlie Sheen, a rede CBS e a Warner Bros decidiram cancelar o resto da temporada da série de maior audiência nos EUA.

A decisão foi baseada na "totalidade das declarações de Charlie Sheen, condutas e condições", segundo um comunicado conjunto divulgado nesta quinta-feira, em um comunicado conjunto. Mais detalhes sobre o futuro da atração não foram divulgados.

A produção foi suspensa em janeiro para que Sheen tratasse sua dependência química. Nesta quinta-feira, Warner e o empresário do ator, Stan Rosenfield, disseram que as filmagens voltariam com o retorno do ator. Mas isto foi antes que Sheen, de 45 anos, ter feito declarações desconexas e ácidas em uma entrevista de rádio. Entre outras falas, o ator xingou o produtor executivo da série, Chuck Lorre e usou palavrões até para definir o programa de Alcoólicos Anônimos. O ator chegou a convocar os fãs para que "injustiças fossem reparadas".

A decisão repentina de cortar episódios da oitava temporada da popular e lucrativa atração veio depois de um comportamento cada mais errático do ator, incluindo uma entrevista anterior em que havia declarado ter sido barrado pelos produtores ao tentar voltar a gravar.

Em sua entrevista para a rádio, Sheen evocou repetidamente imagens e idéias violentas. Seu ataque a Lorre beirou o anti-semitismo. "Tem algo de deplorável que um certo Chaim Levine - é este o nome real de Chuck - pegou para ele mesmo uma postura de rockstar como uma estratégia egoísta", disse.

"Passei quase uma década magicamente convertendo suas pequenas moedas de lata em puro ouro. E a gratidão que recebo é esse charlatão que escolhe não fazer o seu trabalho, que é escrever", comentou.

Lorre, cujo verdadeiro nome é Charles Levine, é um produtor veterano cujos sucessos na TV incluem The Big Bang Theory, Dharma & Greg, Mike and Molly e Cybill.

Falando sobre si mesmo, Sheen disse que tem "mágica e poesia na ponta dos dedos a maior parte do tempo".

Lorre não comentou as declarações de Sheen nem o cancelamento da temporada.

Mais polêmica

No que o site de celebridades TMZ chama de "carta aberta" de Sheen publicada nesta quinta-feira, o ator chama Lorre de "pequeno verme" e deseja ao produtor "nada a não ser dor".

Sheen, também convoca seus fãs para demonstrar apoio a ele. "Eu peço a todos os meus leais fãs que adotaram esse programa há quase uma década que me acompanhem na busca pela reparação de injustiças e erros".

A Warner já havia decidido cortar a oitava temporada da série que teria 24 episódios, para 20, por causa das faltas de Sheen. Agora, a CBS fica com apenas 16 episódios, sendo que todos já foram ao ar nos Estados Unidos.

O canal de TV e o estúdio toleraram o comportamento Sheen por bastante tempo. Ele começou um tratamento de reabilitação em janeiro, em casa, após três hospitalizações em três meses. A mais recente foi uma rápida ida ao hospital após uma festa de 36 horas em sua mansão, acompanhado de atrizes pornôs.

Na entrevista à rádio, Sheen se referiu ao grupo de Alcoólicos Anônimos a um culto de porão no qual a chance de sucesso se resume a 5%, comparando ao seu sucesso de 100%. Segundo ele, um dos motes do grupo é "Não seja especial, seja um de nós. Novidade para vocês: eu sou especial e nunca serei um de vocês", declarou.

Sheen assinou, no fim do ano passado, um contrato de dois anos com a série, que deve render a ele em torno de US$ 1,8 milhão por episódio. O ator se referiu a ele mesmo como o novo xerife da cidade, que tem um "exército de assassinos". "Se você ama com violência e odeia com violência, não há nada a ser questionado", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.