Swayze cheio de testosterona

Quando vi as notícias sobre a doença de Patrick Swayze fiquei realmente triste. Afinal, Dirty Dancing marcou minha adolescência e Patrick era sinônimo do homem perfeito. Nos chamados "bailinhos" da escola, o hit era a música (I?ve Had) The Time of My Life, que embalava o romance de Patrick e Jennifer Grey no filme. Ai, ai! Isso sem falar nos filmes Ghost, Caçadores de Emoção - que ainda contava com Keanu Reeves - e, mais tarde, Para Wong Foo, Obrigada por Tudo. Agora, o ator está mal e, mesmo assim, não parou de trabalhar. O A&E estreia hoje, às 21 horas, The Beast, série protagonizada por um Patrick durão, bem diferente do Johnny Castle de Dirty Dancing. Aliás, ele está mais para o detetive Alonzo, papel de Denzel Washington em Dia de Treinamento. Dá muito medo de Patrick na pele do detetive Charles Barker. Todo machão, o personagem ensina os truques do FBI para o novato Ellis Dove (Travis Fimmel), que é abordado para agir como agente duplo, investigando as ações de Barker. Na tela, nada de dança e romance, só tiros e socos. Coisa de macho mesmo. Nos EUA só foram ao ar oito episódios da série, programada para finalizar com 13. Patrick, dizem os jornais, já não faz tratamento contra o câncer e acha que não tem muito tempo de vida. Difícil é acreditar nisso depois de assistir a The Beast. Vale conferir. Ainda não tive tempo de falar mal de Kath & Kim, mas hoje vai. Ninguém merece aquela dupla... A mãe é chata e a filha, insuportável. Não dá para entender o sentido daquelas caricaturas. A Sony poderia deixar no ar a reprise de My Boys. Melhor ver reprise do que aguentar a dupla. Não me faz rir.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.