Eric Gaillard/Reuters
Eric Gaillard/Reuters

'Só pensava em ser charmoso'

Robert Knepper, de Prison Break, conta como é ser um bandido do calibre de T-Bag

Etienne Jacintho, O Estado de S.Paulo

26 de abril de 2009 | 00h05

Robert Knepper assusta muita gente na pele de T-Bag, em Prison Break, em cartaz no FX, às quintas-feiras, às 22 horas. O ator se diverte com a situação, pois, apesar de ser mau, os fãs da série entendem o personagem. "Não diria que há simpatia, mas, sim, empatia", disse Knepper ao Estado durante entrevista em Los Angeles.

"Acho que, ao longo dos anos, as pessoas que assistem à série conhecem todos os lados de cada personagem e, principalmente, o lado mau de T-Bag."

Para o ator, T-Bag ainda é muito perigoso, mas é possível, agora, entender as ações dele. "Chegamos a um ponto em que você quer ver o que vai acontecer. Claro que a princípio acho que eu assustava as pessoas, especialmente aquelas que me encontravam na rua", brinca. "Quando uma pessoa me via, de repente, em uma loja ou no elevador, ela se assustava bastante!"

Knepper diz não ter se inspirado em nenhum criminoso em especial para viver T-Bag, até porque o processo de casting para o papel foi muito rápido. "Só pensava: ?Diga suas falas e seja charmoso?", conta. "Foi como um primeiro encontro comigo (risos). Não vou ficar sentado lá com cara de ?quero você? - isso pode assustar ou causar uma crise de riso. Então, tive de descobrir como fazer isso", fala o ator, que gostou de fazer um vilão.

"Quando ouvimos falar dessas pessoas, pensamos como elas são terríveis psicopatas. Mas não estou observando e, sim, interpretando esses caras. E aposto o que você quiser que eles não saem por aí dizendo: ?Sou do mal! Sou o demônio!?"

Tudo o que sabemos sobre:
TVeLazerPrison BreakFXRobert Knepper

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.