Universal
Universal

Sessão da tarde exibe 'Três Vezes Amor', com Ryan Reynolds e Isla Fisher

Comédia romântica acompanha o pai solteiro Will, que relembra romances

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

05 de agosto de 2019 | 12h57

Daqui a pouco, às 14 horas, tem romance na Sessão da Tarde da Globo, e dos bons. Ryan Reynolds, na fase (bem) pré-Deadpool, faz o trintão Will, de Três Vezes Amor. Pai solteiro, ele está no meio de um processo de se indagar quem é.

A filha, Maya, pergunta a papai como era a vida dele antes de conhecer mamãe? Quer saber mais – como se aproximaram? Will retrocede a 1992 e começa a contar as histórias de suas três namoradas. Summer, Emily e April. Decidida a reunir pai e mãe, Maya o incentiva a procurar cada uma dessas mulheres com quem teve uma história. São nomes fictícios, ele não diz quem é a mãe.

Ryan Reynolds é um ator, sem dúvida simpático, que seguiu uma carreira um tanto errática. Foi bobão, galã – e tinha o physique du rôle para isso – e atualmente é um herói com tendência a rir de si mesmo, como em Deadpool. Três Vezes Amor é comédia romântica à inglesa, no sentido de que segue um modelo parecido com o de Simplesmente Amor, de Richard Curtis. Até o título original tem certa semelhança – Definetely, Maybe. Definitivamente, talvez.

A precariedade dos sentimentos, o amor é definitivo ou provisório? O filme é muito simpático. Ryan, a filha, Abigail Breslin, e as mulheres – Rachel Weisz, Elizabeth Banks, Isla Fisher. E ah, sim, o diretor e roteirista Adam, Brooks também aparece como ator. É o dono da livraria.

Tudo o que sabemos sobre:
televisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.