DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO

Séries para internet estão mais presentes na disputa

Seriados de TV, telefilmes e minisséries também são contemplados; cerimônia tem por hábito premiar quem está no começo

João Fernando, O Estado de S. Paulo

11 Janeiro 2015 | 16h52

Em tempos de vídeo sob demanda, a internet marca ainda mais presença no Globo de Ouro deste ano. Além das séries do Netflix, House of Cards e Orange Is the New Black, que já receberam indicações no ano passado – a primeira teve um troféu na categoria de melhor atriz –, agora Transparent, lançada online pelo Amazon Prime, entrou no páreo com as produções de TV linear.

Estrelada por Kevin Spacey e Robin Wright, campeã em 2014, House of Cards, produção que relata a busca desenfreada de um político pelo poder em Washington, compete de igual para igual com gigantes da TV. Além dos protagonistas em suas respectivas categorias, está na briga de melhor série de drama com Game of Thrones, The Good Wife, Downton Abbey e a novata The Affair, trama do canal premium norte-americano Showtime sobre a história de um casal nos Hamptons, balneário dos nova-iorquinos ricos, ainda inédito no Brasil.

A atração mais recente tem chances. A imprensa estrangeira de Los Angeles, que elege os melhores no Globo de Ouro, tem por hábito premiar quem está no começo, ao contrário do Emmy, o Oscar da TV, cujos jurados adoram uma figurinha repetida.

Outra disputa entre calouros e veteranos acontece entre candidatas a melhor atriz de drama. Na companhia da bicampeã Claire Danes (Homeland), Julianna Margulies (The Good Wife) e Robin Wright, ambas com uma estatueta de anos anteriores, competem com Ruth Wilson (The Affair) e Viola Davis, que dá um show em How to Get Away with Murder, prevista para estrear na Sony, em março. Já entre os homens, o resultado é mais incerto. Se o for pelos elogios, Clive Owen (The Knick) só precisa se preocupar com Kevin Spacey. Na mesma lista, estão ainda James Spader (The Blacklist), Dominic West (The Affair) e Liev Schreiber, pouco impactante em Ray Donovan.

Quando o assunto são os concorrentes a melhor ator de série de comédia ou musical, fica mais difícil prever. Don Cheadle (House of Lies) já faturou um troféu, porém, Ricky Gervais (Derek) e Louie C.K. (Louie) têm tradição no gênero. No mesmo grupo, estão William H. Macy (Shameless) e Jeffrey Tambor (Transparent). 

Na briga de melhor atriz de série de comédia ou musical, as candidatas podem temer Julia Louis-Dreyfus, tricampeã no Emmy por Veep, porém, ainda zerada no Globo de Ouro. Suas rivais são Eddie Falco (Nurse Jackie), Gina Rodrigues (Jane the Virgin), Lena Dunhan (Girls) e Taylor Schilling (Orange Is the New Black).

No páreo de melhor série de comédia, estão Orange is the New Black, Girls, Transparent, Silicon Valley e Jane the Virgin, a única a não ter sido exibida no Brasil. A trama gira em torno da protagonista, que acidentalmente passa por uma inseminação artificial.

Mais conteúdo sobre:
Globo de OuroTelevisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.