Amazon Studios
Amazon Studios

Séries para conhecer o mundo do tráfico

Além de 'ZeroZeroZero' que estreia nesta sexta na Amazon, veja outras narcoséries disponíveis nos serviços de streaming

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

04 de março de 2020 | 10h01


Na sexta-feira, 6, a plataforma de streaming Amazon Prime se lança no nicho das narcoséries com ZeroZeroZero, uma série baseada no romance homônimo do jornalista e escritor italiano Roberto Saviano, que promete explorar a indústria da cocaína e como ela afeta a economia global. Para os fãs do gênero, o Estadão selecionou algumas sugestões para quem descobrir ou se aprofundar nesse universo.

 

Fariña 

Uma superprodução espanhola baseada nos mesmos fatos reais que inspiraram Narcos, a série sobre o narcotráfico que mostrou a ascensão e queda dos cartéis de drogas colombianos. As duas histórias se cruzam e se complementam. Alguns personagens estão presentes nas duas narrativas sobre como nasceu e se espalhou pelo mundo a epidemia da cocaína.

A série abarca um período de aproximadamente vinte anos, entre o fim dos anos 70 e o começo dos anos 90.

 

 

Narcos

A bem sucedida franaquia da Netflix começou em 2015 com Wagner Moura no papel do narcotraficante Pablo Escobar. A mais recente temporada de Narcos México mostra a ascensão do cartel de Sinaloa, do México.

 

 

El Chapo

A série conta a história do narcotraficante mexicano Joaquín "El Chapo" Guzmán, que criou o Cartel de Sinaloa, uma organização criminosa, em 1989. O cartel possui interesses em mais de 50 países, é o maior fornecedor de cocaína do planeta.

 

 

Operação Exctasy

Agentes se infiltram na operação de um chefão do tráfico disfarçados como um casal, acampando onde o traficante passa os finais de semana. Baseado em fatos reais.  Série da Netflix. 

 

 

NarcoWorld - Histórias do Tráfico

Acompanha policiais perseguindo traficantes em diversos lugares do mundo, como um grande jogo de xadrez.  

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.