Netflix
Netflix

Séries de TV voltam ao ar mesmo após saída de protagonistas por escândalos ou morte

'Two and a Half Men', 'Glee' e 'House of Cards' passaram por transformações recentes no elenco

Reuters

22 Junho 2018 | 18h47

O personagem de Charlie Sheen em Two and a Half Men foi atropelado por um ônibus e enterrado em um grande funeral. Corey Monteith, ator de Glee, morreu na vida real e ganhou um episódio em sua homenagem. E House of Cards voltará sem Kevin Spacey, abalado por um escândalo sexual, colocando sua esposa fictícia no centro da trama.

Seja devido a mortes, reformulações ou atritos, séries de televisão sabem se adaptar à perda de protagonistas e seguir em frente sem eles.

O anúncio de quinta-feira da rede ABC de que encomendou uma série derivada do programa de comédia cancelado Roseanne sem a estrela Roseanne Barr é o mais recente de um longo histórico de mudanças de direção súbitas na TV.

+ Robin Wright assume a presidência nas primeiras imagens da última temporada de 'House of Cards'

A ABC não disse como lidará com a personagem de Roseanne no novo seriado, The Conners, mas em outras ocasiões o público teve poucos problemas em aceitar mudanças repentinas ou dramáticas em séries.

+ Charlie Sheen, de 'Two and a Half Men', faz 50 anos com planos de ser vice-presidente dos EUA

“Se você perde um protagonista, ou alguém sai, ou surge uma polêmica e a solução mostra que o programa continua divertido e cativante, a maioria das pessoas esquece muito rápido”, disse Robert Thompson, professor de cultura pop da Universidade de Syracuse.

“As pessoas aceitam completamente —se o programa for bom”.

Em alguns casos atores decidem sair, ou são demitidos devido a escândalos ou desavenças. Outras vezes eles morrem na vida real, ou seus personagens são retirados de séries de longa duração para criar tensões dramáticas.

Se tiverem sorte, são despachados ficticiamente para uma cidade distante ou para um novo emprego, como aconteceu na saída de George Clooney da série ER em 1999, quando o ator quis investir em sua carreira no cinema.

Outros, como Sheen, demitido em 2011 do que era na época a série de comédia mais vista na TV norte-americana depois de meses de festas regadas a bebidas e drogas, recebem uma despedida deprimente.

Nos próximos meses duas séries premiadas —o drama político House of Cards, da Netflix, e a série sobre transgêneros Transparent, da Amazon— voltarão sem seu atores principais, Kevin Spacey e Jeffrey Tambor, ambos retirados após alegações de assédio sexual.

Nenhuma das produções detalhou como irá substituir seus protagonistas. Spacey, que foi acusado por mais de 20 homens de assédio sexual, não disse nada desde que pediu desculpas ao seu primeiro acusador em outubro de 2017. Tambor negou qualquer irregularidade.

Mais conteúdo sobre:
Charlie SheenKevin Spacey

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.