David Lee/Netflix
David Lee/Netflix

Série ‘Demolidor’, da Netflix, volta às origens em nova temporada

Baseada no personagem da Marvel, produção chega à terceira leva de episódios com solidão do protagonista e retorno do vilão Wilson Fisk

Pedro Rocha, Especial para o Estado

19 Outubro 2018 | 06h00

BOGOTÁ - O fato de haver uma terceira temporada de Demolidor já faz com que não seja spoiler dizer que Matt Murdock está vivo, mesmo após um prédio, literalmente, cair sobre sua cabeça - evento do final da minissérie Defensores, que o reuniu com outros heróis da Marvel na Netflix. Ao reencontrarmos o personagem, vemos um homem machucado, vulnerável e solitário. 

“Ele atinge o fundo do poço, finalmente quebra e não sabe como se reconciliar com um Deus que permitiu que tudo isso acontecesse”, explica seu intérprete, o ator britânico Charlie Cox. “Faz a gente pensar que Matt era feliz na primeira temporada”, brinca sua colega de elenco, Deborah Ann Woll, que vive a jornalista Karen Page. 

Os dois falaram ao Estado sobre a nova temporada da série, que estreia nesta sexta-feira, 19, na Netflix, durante um evento do serviço de streaming em Bogotá, na Colômbia. Se a solidão de Matt relembra a primeira temporada, o retorno do vilão Wilson Fisk (Vincent D'Onofrio) também é uma volta às origens.

“Na segunda temporada a mitologia do personagem era maior, acho divertido voltar a algo mais pé no chão”, diz Cox, que define a nova leva de episódios como um thriller psicológico. “Fico orgulhosa de Vincent pelo vilão formidável que Fisk é”, completa Woll. “Ele nos vence mais do que ganhamos dele, mas é algo bom, porque superá-lo é uma conquista maior.”

De acordo com a atriz, vai ser necessário uma frente tripla, que inclui o melhor amigo de Matt, o advogado Foggy Nelson, para encarar o Rei do Crime, como o personagem é conhecido nos quadrinhos da Marvel. “Karen pode derrubá-lo com a imprensa, com a verdade; Matt pode usar suas habilidades físicas e Foggy pode usar a lei. Mas isso se os três conseguirem se dar bem”, relembra a atriz sobre a relação estremecida entre os três amigos. 

Ao mesmo tempo em que enfrenta Fisk, porém, o Demolidor vai ter mais um desafio, ao lutar contra outro vilão adorado pelos fãs dos quadrinhos, o Mercenário, que aparece nesta temporada, interpretado por Wilson Bethel, que não possui superpoderes, mas é bem treinado para combates à distância. “O melhor desse vilão são suas habilidades. As sequências de luta precisavam ser muito específicas, em termo de coreografia.”

Numa eventual quarta temporada, Cox não espera grandes mudanças na série, a não ser que a história peça. “Vi duas críticas do último álbum da Adele, uma elogiava ela fazer o que sempre faz e outra esperava que ela mudasse. Não há uma fórmula.”

Prática contínua

Já são três temporadas e alguns anos em que Charlie Cox tem se dedicado ao treinamento de boxe e outras artes marciais para viver o herói da Marvel na TV. Ele admite, no entanto, que não incorporou as práticas em sua vida pessoal. “Quando não estou gravando a série, estou descansando. Tem sido muito bom treinar, mas não sou muito talentoso.”

Outro treinamento que continua é para dar vida a um personagem cego. Apesar de estar há todo esse tempo na pele de Matt, o ator afirma que ainda é difícil. “É um desafio constante, é algo que sempre tenho que pensar. Minhas expressões dependem do lugar onde estamos, da quantidade de pessoas no set e do posicionamento das câmeras.”

Segundo Cox, durante sua pesquisa para o papel, algo que o incomodava em outras representações de pessoas cegas é que, na tentativa de deixar os olhos sem expressão, muitos atores acabavam com os próprios rostos apáticos. “Trabalho com um homem que é cego e ele me disse que aprendeu a direcionar os músculos dos olhos, que assim  as pessoas interagem melhor com ele”, explica o ator. “Tento fazer o mesmo, ainda que não esteja olhando para a pessoa, tento direcionar meu rosto.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.