Valentyn Ogirenko/Reuters
Valentyn Ogirenko/Reuters

Série da HBO provoca boom de turismo em Chernobyl

Agência de turismo de Chernobyl relatou um aumento de 40% nas reservas desde que a série da HBO, 'Chernobyl', estreou em maio com ótimas críticas.

Max Hunder, Reuters

04 de junho de 2019 | 16h19

CHERNOBYL, Ucrânia - O sucesso de uma minissérie que examina o pior acidente nuclear da história, ocorrido em Chernobyl, fez aumentar o número de turistas que querem ver a usina e a cidade abandonada fantasmagórica em sua vizinhança por si mesmos.

Uma agência de turismo de Chernobyl relatou um aumento de 40% nas reservas desde que a série da HBO Chernobyl estreou em maio com ótimas críticas.

As excursões com guias em inglês normalmente custam cerca de US$ 100 por pessoa.

Abril marcou o 33º aniversário do desastre em Chernobyl, na então soviética Ucrânia, causado por um teste de segurança mal-sucedido no quarto reator da usina atômica que lançou nuvens de material nuclear sobre boa parte da Europa.

A minissérie da HBO retrata os efeitos da explosão, a enorme operação de limpeza e o inquérito subsequente.

A área ao redor da usina preserva o clima de terra arrasada pós-apocalíptica, na qual cães vira-latas perambulam e a vegetação brota em edifícios sem janelas, esquecidos e repletos de lixo.

Em Pripyat, cidade fantasma que já abrigou 50 mil pessoas, a maioria das quais trabalhava na usina, um parque de diversões conta com a carcaça enferrujada de um carrossel e de uma pista de carrinho de bate-bate e uma roda gigante que nunca chegou a funcionar – ela deveria ter sido inaugurada no feriado de 1º de maio.

Sergiy Ivanchuk, diretor da SoloEast tours, disse à Reuters que a empresa viu um aumento de 30% de turistas em visita à área em maio quando comparado com o mesmo mês do ano passado. As reservas para junho, julho e agosto aumentaram em aproximadamente 40% desde que a HBO exibiu a série, disse.

Yaroslav Yemelianenko, diretor da Chernobyl Tour, disse que acredita em um aumento semelhante de 30% a 40% por causa da atração.

Sua empresa oferece uma excursão especial a locais retratados no programa, inclusive o bunker onde autoridades locais decidiram a princípio não esvaziar o local após a explosão.

Os visitantes de um dia embarcam em ônibus no centro de Kiev e percorrem 120 quilômetros até a área, onde podem ver os monumentos às vítimas e os vilarejos desertos e almoçar no único restaurante da cidade de Chernobyl.

Craig Mazin, o criador da minissérie Chernobyl, a visitou antes de escrever o programa e disse a respeito da experiência: “Não sou um homem religioso, mas aquilo foi a coisa mais religiosa que jamais sentirei”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.