Gianne Carvalho/Multishow
Gianne Carvalho/Multishow

Sem pudor, Tatá Werneck desconstrói artistas em novo talk-show

No 'Lady Night', humorista mostra uma nova maneira de fazer um bom late show

Gabriel Perline, O Estado de S.Paulo

12 Abril 2017 | 01h20

Ao falar de Lady Night, seu novo programa no canal Multishow, Tatá Werneck foi sincera ao dizer que não havia nada de inovador no formato. “Os encontros é que são o diferencial”, disse ao Estado. E justamente por não prometer algo que poderia não ser entregue ao público, como fizeram alguns humoristas que migraram para o late show, esse programa se sobressai. É, sem dúvidas, o mais dinâmico e sagaz entre os que estão na praça. “Tentei acessar lugares e situações pelas quais estes convidados não estiveram quando participaram de outros programas de entrevistas”, justificou. E conseguiu.

Colocar Bruna Marquezine para inaugurar a linha de entrevistas foi o primeiro grande acerto. Tudo o que a atriz faz vira notícia. O fator Neymar ajuda a elevar a curiosidade alheia sobre seus passos. Tatá, com o raciocínio ágil, fez a amiga sair das respostas pré-fabricadas pelos assessores. Deu detalhes do primeiro beijo – aos 11 anos de idade –, confessou ter pensado em desistir da carreira e ainda deixou escapar que acha o nome do namorado feio. Nenhuma informação que mudará os rumos do País, mas relevantes para o universo em que está inserida.

Fato é que Bruna não teve muito tempo para processar as perguntas de Tatá. Na metralhadora de questionamentos nonsense, coisas do tipo: “Sua mãe não foi acusada de exploração infantil?”, “Não teve medo de crescer como um Macaulay Culkin um pouco deformado?” ou “Qual é o seu tipo de depilação?”. As respostas, sempre aos risos, foram bastante sinceras.

A dinâmica de Lady Night segue a intensidade da mente de sua apresentadora. Os quadros rotativos, alguns criados exclusivamente para Bruna, forçam o entrevistado a sair de sua zona de conforto.

 

Tatá reconstituiu, à sua maneira, o primeiro beijo de Bruna, fez sua entrevistada responder a perguntas com feições deformadas, a colocou no chão para rastejar como uma minhoca, construiu notícias falsas a partir de declarações da atriz, a fez falar sobre Neymar e ainda participou de uma encenação com insinuações sexuais – Bruna colocou a mão em um dos seios da apresentadora.

Desconstruiu um dos novos mitos ‘globais’. Promessa que Marcelo Adnet fez ao estrear o seu Adnight, no ano passado, na Globo, e não cumpriu. Marquezine, inclusive, participou do programa. Na ocasião, não deu nenhuma informação inédita, brincou de ‘Stop’ e dançou funk, gerando raros momentos de riso. Sorte de Adnet que Tatá está no Multishow. 

O canal, em sábia decisão, já garantiu segunda temporada do programa antes mesmo da estreia. Ainda passam pelo sofá – e pelas armadilhas – do Lady Night as cantoras Anitta, Sandy, padre Fábio de Melo, e mais outros 30 nomes. Que tenha vida longa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.