João Miguel Júnior
João Miguel Júnior

Selton Mello retorna às novelas como protagonista de 'Nos Tempos do Imperador'

Ator esteve distante das novelas por mais de 20 anos e agora retorna, no horário das seis, como Dom Pedro II

Eliana Silva de Souza, O Estado de S.Paulo

16 de março de 2020 | 06h00

ENTREVISTA

Selton Mello, ator

Como é viver esse personagem histórico, mostrá-lo como governante, esse homem, marido, pai, amante, é uma realização?

Uma oportunidade rara de poder dar vida a um dos brasileiros mais importantes que já tivemos. A novela é linda, ajudará a relembrar uma parte importante de nossa história, e internamente é um retorno emocionante, pois foi ali na TV que dei meus primeiros passos, a televisão aberta foi minha verdadeira escola. Voltar para casa é sempre comovente.

O que mais chama sua atenção na história de D. Pedro II?

A sensibilidade de um homem que privilegiava a educação, a ciência, as artes, o conhecimento.

Tanto tempo sem fazer novela, achou que era a hora de voltar, principalmente por viver esse personagem? E como é estar em uma novela de época?

Sim, sentia que faltava o projeto certo. E Dom Pedro II era mais do que eu esperava. Eu acho o máximo trabalhos de época, já fiz vários porque adoro essa chance de voltar no tempo, aprender com o passado e iluminar o presente de quem nos assiste.

Mesmo sendo uma ficção, uma história romanceada, acredita que a novela será uma boa forma de mostrar esse período da história para o público?

Sem dúvida, será um trabalho que conheceremos fatos do Brasil do século 19, relembraremos um período fundamental de nossa formação e poderemos comparar o que ficou de um bom legado e o que continuou igual mesmo tanto tempo depois.

Como se preparou para o papel?

Lendo muito, tudo que havia ao meu alcance sobre o imperador, sobre a monarquia. Um trabalho bem íntimo, procurando entender através de tantos autores e pensamentos diferentes, a alma desse personagem. O desafio agora é colocar em prática tudo que li sobre Dom Pedro II. Os livros apontam fatos, fotos, pinturas, mas dar vida a um personagem desse porte exige que eu imagine, que eu suponha como ele se portaria diante de tantos acontecimentos.

O fato de você ter começado a trabalhar criança, serviu como inspiração para compor o personagem, afinal são dois homens que começaram a trabalhar muito cedo. Tem algo a ver?

Tudo a ver! Adorei sua observação, isso me tocou verdadeiramente. Eu escolhi ser ator, em uma família sem referência artística, aos 7 anos de idade. Dom Pedro II herdou um trono, e o desafio de comandar um império aos 5 anos. Eu tive escolha, ele não. Muitas vezes, lendo sobre a adolescência reclusa, seu jeito moderado, suas poucas palavras, sua introspecção, me vi, me emocionei e quis viver esse brasileiro notável. Tenho tido dias muito felizes voltando ao lugar onde tudo começou para mim, e vivendo esse homem tão importante na história de nosso país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.