Globo/Victor Pollak
Globo/Victor Pollak

'Salve-se Quem Puder', nova novela das 7, estreia nesta segunda

Juliana Paiva é uma das protagonistas que fogem de criminosos na nova novela

Adriana Del Ré, O Estado de S.Paulo

26 de janeiro de 2020 | 06h00

Três jovens mulheres são testemunhas de um assassinato, passam a ser perseguidas pelos criminosos e precisam mudar de identidade (e de vida) após entrarem no Programa de Proteção à Testemunha. O enredo bem que poderia ser de um filme de ação, mas, na verdade, é apenas o que desencadeia a trama da nova novela das 7, Salve-se Quem Puder, criada e escrita por Daniel Ortiz, e com direção artística de Fred Mayrink, que estreia nesta segunda-feira, 27, na Globo, substituindo a bem-sucedida Bom Sucesso. As três personagens em questão são Alexia Máximo, Luna Furtado e Kyra Romantini, interpretadas respectivamente por Deborah Secco, Juliana Paiva e Vitória Strada.

Alexia, Luna e Kyra se conhecem por acaso, em Cancún. Com personalidades e histórias de vida bem distintas entre si, elas estão naquele cenário paradisíaco no México também por diferentes razões. Alexia é uma atriz em ascensão, que está lá para realizar seu sonho e gravar uma novela da Globo. Estudante de Fisioterapia, Luna vive com o pai, trabalha no hotel no qual chegam Alexia e Kyra, e está na batalha para se formar. Já Kyra se prepara para o casamento que planeja há anos.

Em Cancún, Alexia se envolve com o sedutor Renzo (Rafael Cardoso), mas ele se revela um dos vilões da história. Mesmo com a proximidade de um furacão, a atriz vai atrás de Renzo e convence as duas novas amigas a acompanhá-la. Ao seguir o rapaz, o trio acaba vendo o momento em que o juiz Vitório (Ailton Graça) discute e tenta desarmar a advogada Dominique (Guilhermina Guinle), e é morto por ela. Renzo é sobrinho de Dominique, e os dois deflagram uma perseguição às garotas. Mas as três conseguem escapar, e precisam entrar num programa de proteção para também não serem mortas. Mesmo que para isso precisem deixar tudo para trás – família, amigos, amores. Elas vão para o interior de São Paulo, onde são acolhidas por Ermelinda (Grace Gianoukas) e seu filho Zezinho (João Baldasserini), e passam a usar novas identidades: Alexia se torna Josimara; Luna vira Fiona; e Kyra passa a se chamar Cleyde. Mudam também de aparência e estilo.

“Para mim, o que a novela fala é sobre se reinventar, é que todo mundo, de alguma forma, passa por um ‘furacão’ na vida, que faz você se redescobrir, se reinventar, ressignificar muita coisa. O furacão na novela é físico, mas é uma situação extrema que aproxima três pessoas e vai fazer cada uma delas repensar o seu modo de vida. A Luna, bem ou mal, estava acomodada ali, naquela vidinha dela no México, com o pai, como o namorado da vida inteira. Ela vai descobrir um novo horizonte, até cutucar uma dor escondida”, diz a atriz carioca Juliana Paiva, de 26 anos, que está de volta a uma novela das 7, depois de viver a mocinha Marocas, de O Tempo Não Para, exibida entre 2018 e 2019.

A vida de sua protagonista é marcada por dramas. Os pais, brasileiros, tentaram atravessar ilegalmente a fronteira do México para os EUA. Nesse período, a mãe engravidou e Luna acabou nascendo no México. Quando ela ainda era criança, a mãe conseguiu o tão sonhado visto para os EUA, e foi para o país com a promessa de voltar para resgatar a filha e o marido. Ela, no entanto, nunca retornou.

“Esse assunto da mãe é meio proibido dentro da casa deles, o pai não gosta de falar a respeito, tem uma mágoa grande. A mãe é uma pessoa superquerida, e essa atitude de abandono não condiz com ela. A Luna sempre carregou isso com ela. Sente-se meio culpada”, conta Juliana. “Acho que, no fundo, a Luna sempre quis ir atrás dela, mas sempre foi um assunto muito doloroso. Então, a partir do momento que acontece toda a trama, de elas testemunharem o assassinato, de entrarem no Programa de Proteção à Testemunha, de terem de embarcar para o Brasil e caírem em São Paulo, que é onde ela tem a última notícia da mãe, Luna vê a oportunidade de reencontrar essa mãe.”

Mas, além de drama, a novela traz outros elementos, como comédia romântica, humor e aventura. É a primeira vez que Juliana trabalha com Deborah Secco e Vitória Strada, que, juntas formam o trio de protagonistas. E como é a dinâmica das três? “Uma faz companhia para outra, trocamos bastante ideias. O Daniel (Ortiz) dá abertura para a gente. É o elo de três pessoas que se encontram numa situação extrema e se tornam praticamente irmãs. Uma só tem a outra para confiar. Então, a gente se ajuda bastante no set, com nossas experiências, visões de trabalho”, comenta ela. “São três personagens com personalidades diferentes, mas que passam por uma situação comum e a parceria é muito forte. Falo que somos as três panteras, as três patetas e as três mosqueteiras.”

ENTREVISTA 

Daniel Ortiz, autor

Salve-se Quem Puder parece ser uma trama com um quê cinematográfico. Você teve inspiração em filmes?

Sou um cinéfilo. Assisti a vários filmes desde criança, nos anos 50, 60, 70, 80, fui devorador de filmes dessas épocas. E dos anos 90 também. Depois eu me afastei um pouquinho porque o cinema mudou, tem tantos blockbusters, e aí é difícil você encontrar filmes bons como antigamente. Mas tenho muita inspiração em filmes, sim. A Alexia, que é atriz, vira e mexe quer resolver algum problema de acordo como um tal personagem de tal filme resolveu.

Era primordial que as protagonistas fossem muito diferentes entre si?

Achava que tinha de ter uma diferença substancial entre elas. Até porque elas estarão unidas, mas brigando de vez em quando. Serão obrigadas a conviver juntas e eram três estranhas. Então, vão ter que aprender a viver com os defeitos umas das outras, mas ao mesmo tempo relevar isso porque precisam umas das outras, estão na mesma enrascada.

Elas tinham sonhos e planos. Como elas conseguem ressignificar as próprias vidas a partir dessa mudança de rota?Todas elas estavam para alcançar o grande sonho de suas vidas e tiveram que abandonar tudo. A Alexia com a carreira de atriz, é dada como morta e ainda tem que ver a irmã vilã ocupando o lugar dela na novela que ia fazer. Era o sonho dela fazer uma novela da Globo e ela tinha conseguido. A Kyra ia realizar o sonho de casar, agora vai ver o noivo chorando por ela nas redes sociais e ver a ex-namorada dando em cima dele. E a Luna já tinha terminado os estudos, faltava só a formatura dela de Fisioterapia. Ela e o pai são muito humildes, trabalharam muito para que ela se formasse. Então, ela não conseguiu dar esse orgulho para o pai. Quando elas entram no programa de proteção, acham que a vida acabou.

Qual o significado do furacão que surge no momento em que elas testemunham o crime?

O furacão tem um duplo significado. Elas são dadas como mortas no furacão e a vida delas realmente vira de pernas para o ar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.