Acervo familiar
Acervo familiar

Roteirista d'Os Trapalhões, Nilson Costa morre aos 80 anos em Sorocaba

Costa deixou mulher, três filhas, genros e netos; seu corpo será sepultado nesta segunda-feira, 13, no Cemitério da Saudade, em Sorocaba, e a causa da morte não foi divulgada

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

12 de julho de 2020 | 17h17


SOROCABA – O humorista Nilson Costa, conhecido por ter sido, durante muitos anos, roteirista de Os Trapalhões, morreu na madrugada deste domingo, 12, aos 80 anos, em Sorocaba, no interior de São Paulo. Costa também criou roteiros para os programas do Fofão e do Bronco, personagem de Ronald Golias. Ele era dentista e exerceu essa profissão durante quase 20 anos. Convidado pelo também roteirista Ary Madureira, que usava o pseudônimo de Marcos César, passou a produzir textos para o comediante Chico Anysio.

O primeiro texto de Nilson Costa foi escrito para Chico Anysio ler no programa Fantástico, da TV Globo. Os dois se tornaram amigos e Costa estava com o humorista, em um bar de Sorocaba, quando o Chico produziu os esboços do personagem Azambuja, o malandro carioca. Costa manteve contratos de trabalho com as redes Globo e Bandeirantes.

Nos últimos anos, o roteirista também manteve colunas de humor nos jornais Cruzeiro do Sul e Diário de Sorocaba e desenvolveu trabalhos voluntários de criação de comerciais, para estimular a doação de córneas para o Banco de Olhos de Sorocaba.

Mesmo com a saúde debilitada, Costa continuava produzindo e planejava lançar um livro de contos. A causa da morte não foi divulgada. O roteirista deixou mulher, três filhas, genros e netos. Seu corpo será sepultado nesta segunda-feira, 13, no Cemitério da Saudade, em Sorocaba.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.