Mario Anzuoni/Reuters
Mario Anzuoni/Reuters

Roseanne Barr diz que fez comentário racista sob efeito de remédio

Por conta do comentário, a atriz foi demitida do canal norte-americano ABC, uma ação que teria custado mais de 60 milhões de dólares para a companhia

O Estado de S.Paulo

30 Maio 2018 | 11h39

A atriz Roseanne Barr afirmou na terça-feira, 29, que estava sob efeito de um sedativo leve quando escreveu no Twitter um comentário racista contra a ex-assessora de Barack Obama, Valerie Jarett. Numa série de tuítes já deletados, a atriz disse que o que fez foi "imperdoável" e justificou seu comportamento, que levou ao cancelamento de sua série no canal norte-americano ABC, da Walt Disney Company. 

++ Série 'Roseanne' é cancelada após tweet racista de sua protagonista

De acordo com a Reuters, Barr disse, nos tuítes deletados, que estava cansada de "ser atacada e minimizada mais que outros comediantes que já disseram coisas piores" e pediu para pessoas que a apoiam não a defenderem e também não boicotarem a ABC, dizendo que o canal tem direito de fazer o que quiser. "Eram duas da manhã e eu estava tuitando sob efeito de Ambien. Era (o feriado) Memorial Day também e eu fui longe demais e não quero defesa, foi notoriamente indefensável", escreveu. "Eu cometi um erro que gostaria de não ter cometido. Não defendam, por favor."

O comentário que gerou a demissão de Barr, de 65 anos, da ABC, foi que Jarett, que é negra e nasceu no Irã de pais americanos, seria como se a "Irmandade Islâmica e Planeta dos Macacos tivessem um bebê". Ao anunciar a demissão de Roseanne Barr, a presidente da ABC Entertainment, Channing Dungey, disse em nota que a declaração da atriz foi "abominável, repugnante e inconsistente com nossos valores". 

A ação de cancelar a série Roseanne, que estava no ar desde o ano passado, teria causado, segundo o The Wrap, um prejuízo de 60 milhões de dólares para a companhia televisiva da Disney. O valor seria apenas de publicidade que a série renderia ao canal na próxima temporada. Na temporada anterior, agora a última da série, o canal recebeu 45 milhões de dólares de anúncios publicitários. 

Originalmente, Roseanne foi uma série exibida entre 1988 e 1997, como uma comédia sobre a vida de uma família trabalhadora dos EUA. Na onda de revivals da TV americana, a série foi resgatada pela ABC para a temporada 2017/2018, se tornando a segunda maior audiência entre as comédias televisivas, perdendo apenas para The Big Bang Theory, da CBS. 

Mais conteúdo sobre:
Roseanne Barr racismo série e seriado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.