Michel Angelo / Record
Michel Angelo / Record

Record aposta em novelão a.C.

A História de Ester inaugura a fornada de textos bíblicos que a rede pretende adaptar

Keila Jimenez,

27 Fevereiro 2010 | 16h00

Marcada por sua relação com uma ordem religiosa, no caso, a acionista Igreja Universal, a Record resolveu tirar proveito dramatúrgico da situação. A História de Ester, que estreia na quarta-feira, é a primeira das minisséries bíblicas que a emissora pretende fazer.

 

A trama principal é um novelão de praxe. Mocinha pobre e linda que se casa com o galã rico e poderoso, mas não vive feliz para sempre por esconder um grande segredo. Remetido para o universo bíblico, a coisa muda de universo ficcional e de orçamento: R$ 500 mil por capítulo.

 

A mocinha (Gabriela Durlo) em questão é uma judia adotada, que acaba caindo nas graças do grande rei persa Assuero (Marcos Pitombo). O cenário: a Pérsia 479 a.C., construída em mil metros quadrados nos estúdios na emissora, o complexo Recnov, no Rio. A emissora também promete efeitos especiais hollywoodianos na produção, principalmente nas cenas das grandes batalhas.

 

 

HEROÍNA

 

Na trama, Ester e Assuero se casam e ela acaba tendo seu segredo ameaçado quando o rei resolve expulsar os judeus da Pérsia. Para tentar salvar seu povo, a rainha terá de revelar ao amado que é judia, o que pode lhe custar a vida.

 

Com 10 capítulos e direção de João Camargo, A História de Ester apresenta no elenco: Ewerton de Castro, Paulo Gorgulho, Eliete Cigarini, Márcio Kieling, Juan Alba, Paulo Nigro, Maria Ceiça, Cássia Linhares e Vanessa Gerbelli. A adaptação é de Vivian de Oliveira.

 

Se der certo, será o primeiro de vários textos bíblicos que a emissora pretende adaptar. Pelo menos três já estão sendo analisados para uma nova minissérie, em junho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.