Netflix
Netflix

'Purple Hearts, Continência ao Amor', na Netflix, tem romance e drama na medida certa

Filme é protagonizado pela atriz Sofia Carson, que canta suas músicas e também é produtora; veja trailer original

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de agosto de 2022 | 12h05

Pelo visto, o público de streaming vem mesmo dando preferência para filmes românticos, mas leves ou com histórias inspiradoras. É o caso do longa-metragem Continência ao Amor (Purple Hearts), recém-chegado na Netflix. Tanto é verdade que a atriz e cantora Sofia Carson despertou a curiosidade geral, com as canções da trilha sonora do filme interpretadas por ela. 

Continência ao Amor tem uma história comum ao gênero romântico, com duas pessoas com poucas probabilidades de se atraírem. Na trama, a batalhadora Cassie (Sofia Carson) é empregada de um bar noturno, em Austin, no Texas. Seu desejo, no entanto, é trilhar uma carreira como cantora e compositora. Daí surge o Luke (Nicholas Galitzine), que é um fuzileiro naval com data marcada para embarcar para o trabalho, função que almeja pois se identifica com disciplina do serviço militar. 

O encontro entre os dois será de forma casual no bar onde Cassei trabalha e esse contato será o suficiente para que tomem decisão que mudará o rumo de suas vidas. Eles decidem se casar antes que Luke vá para a guerra, o que possibilitará ter acesso a alguns benefícios do cargo do rapaz no exército. No entanto, uma tragédia fará com que os dois sejam colocados em dúvida sobre realidade de ficção. 

 

Dirigido por Elizabeth Allen Rosenbaum, Purple Hearts, Continência ao Amor é baseado no livro de mesmo nome de Tess Wakefield e o roteiro é assinado por Liz W. Garcia e Kyle Jarrow. Sofia Carson também integra o time de produtores que tem ainda Amy Baer, Paul O. Davis, Elysa Koplovitz Dutton, e Leslie Morgenstein. 

O ebook em inglês de Purple Hearts, Continência ao Amor é o mais vendido na Amazon brasileira agora (na categoria ebooks em outras línguas).

 

Tudo o que sabemos sobre:
série e seriadostreamingNetflix

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.