Netflix
Netflix

Primeira temporada da série ‘Supermães’ estreia no Brasil

Atração canadense chega com exclusividade ao País pela Netflix, mostrando a vida, e as dificuldades, de várias mulheres após dar à luz

Pedro Rocha, Especial para o Estado de S. Paulo

22 de fevereiro de 2019 | 03h00

Existem muitas produções sobre maternidade na TV, mas Supermães, que chega nesta sexta-feira, 22, à Netflix Brasil, traz um momento muito particular de mães do século 21, quando a licença-maternidade chega ao fim e elas precisam voltar aos seus trabalhos e às suas rotinas. 

Criada e estrelada pela atriz americana Catherine Reitman, a série é produzida pela TV canadense, onde já está em sua terceira temporada. No Brasil, a primeira chega com exclusividade pela Netflix. 

Em Supermães, o público vai acompanhar quatro mulheres passando pelo mesmo momento de suas vidas. Algumas lidam com crises de identidade, dificuldades no trabalho, depressão pós-parto e outros problemas da vida comum. Kate Foster, a protagonista vivida por Reitman, como dá para ver já no trailer tornado disponível pela Netflix, é o tipo de mãe que coloca até ursos para correr, mas chega ao ápice do estresse ao ter de lidar com difíceis decisões tanto em casa quanto no trabalho. 

A série traz ainda a amiga de Kate, Anne (Dani Kind), mãe pela segunda vez, que também enfrenta desafios em sua família, e ainda mais duas personagens que ganham bebê, Frankie (Juno Rinaldi) e Jenny (Jessalyn Wanlim). 

Outras produções. Com Supermães, a Netflix aumenta o seu catálogo de séries, dentre as que distribui com exclusividade no Brasil, que focam nos dramas da maternidade – em diferentes fases da vida. O serviço de streaming já inclui Turma do Peito, que foca nos desafios de uma mãe de primeira viagem em seus primeiros dias com seu bebê. 

Em Turma do Peito, uma produção australiana, a maternidade é vista como um “desapontamento”, como já indica o título original em inglês, The Letdown. A série mostra que nem tudo são flores, que cuidar de uma criança pode ser exaustivo e que as expectativas impostas pela sociedade podem sobrecarregar qualquer mulher. 

Já a documental O Começo da Vida não fala exatamente sobre a relação das mães com os seus filhos, mas apresenta uma visão panorâmica dos primeiros dias de vida de um bebê e como isso pode influenciar o futuro da vida em família. A série conta com depoimentos de mães da vida real, como a modelo brasileira Gisele Bündchen

O catálogo da Netflix no Brasil traz ainda algumas séries de ficção que, em seu centro, têm também a relação das mães com os filhos, mas só que agora em fases mais avançadas da vida. The Good Girls, por exemplo, apresenta o desafio de três mães que precisam inovar na hora de conseguir colocar dinheiro em casa. Já Grace and Frankie acompanha duas mães que já criaram seus filhos, acabaram de se divorciar, e precisam se reinventar aos 70 anos. 

A clássica Gilmore Girls, que recentemente ganhou uma nova temporada pela Netflix, e também a recente One Day At a Time, expõem os dramas dos choques de gerações entre as mulheres de uma família. Atypcal, por sua vez, revela as dificuldades de uma mãe para criar um filho autista. 

Tudo o que sabemos sobre:
série e seriado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.