Por que na TV (#1238&*#) é assim?

Se já não bastassem as traduções malfeitas, acompanhar séries na TV vem provocando uma outra dor de cabeça: as falhas técnicas. Quem zapeou recentemente pela Warner ou Sony sabe bem. As legendas não estão sincronizadas com as falas, elas somem do nada e até uns códigos estranhos (como esses do título acima) pipocam pela tela. Que o diga a estréia de The Sopranos.Mas por que isso acontece? Procurados pela reportagem, Sony e Warner não responderam. Então a resposta veio da empresa de legendagem Drei Marc, que presta serviços para o Universal Channel, Fox, FX e canais Globosat. Segundo Marcelo Camargo, diretor de atendimento e marketing da Drei Marc, é difícil culpar o canal "x" ou a empresa de legendagem "y". "Esses erros geralmente acontecem durante a transmissão do sinal. Canais que inserem os arquivos de dados e de áudio e vídeo simultaneamente apresentam isso", explica. Em entrevista ao Estado em setembro, Miguel Rios, diretor de marketing dos canais Sony, afirmou que os erros acontecem devido à digitalização do material do canal.Muito bem, se a parte técnica foi respondida, vamos agora ao conteúdo. Por que as legendas dos seriados televisivos são tão light e com erros grosseiros? Warner e Sony não comentaram. Fox e Universal garantem que trabalham com empresas brasileiras de legendagem especializadas e confiam nelas."Há ainda uma última revisão feita pela equipe de programação. Em House há um especialista que faz a revisão de termos e expressões médicas, assim como em Law & Order: SVU há o apoio de advogados", afirmou Paulo Barata, diretor do Universal Channel.A Drei Marc, que legenda seriados como The Office, House, Monk, Reaper, Sex and the City e 24 Horas, também opinou. "É toda uma orientação: os canais passam para a gente todos os detalhes da série e com qual público e horário ela será trabalhada. Alguns canais pedem para sermos mais fiéis ao roteiro original, outros dizem para fazermos uma adequação que não impacte tanto", diz Marcelo Camargo.MERCADO DE TRABALHOOs legenders são unânimes ao dizerem que não têm nenhum retorno financeiro com a legendagem. Muitos perdem horas e dias de sono legendando e traduzindo por puro prazer. Mas não é que algum deles gostaram do negócio e hoje trabalham com isso? "Muitos perceberam aí um filão e entraram em contato com a gente. Alguns aceitaram o desafio de serem treinados e hoje entraram com tudo no mercado", diz Marcelo Leite, diretor de qualidade da Drei Marc.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.