REUTERS/Abhishek N. Chinnappa
REUTERS/Abhishek N. Chinnappa

Político indiano processa Netflix por retrato considerado 'ofensivo' de ex-premiê em série

A solicitação é que o serviço de vídeo por streaming apague 'cenas ofensivas' e comentários depreciativos sobre Rajiv Gandhi em sua primeira série original rodada no país

Reuters

13 Julho 2018 | 17h58

Um político da Índia processou a Netflix pedindo que o serviço de vídeo por streaming apague “cenas ofensivas” e comentários depreciativos sobre o ex-primeiro-ministro Rajiv Gandhi em sua primeira série original rodada no país.

O Tribunal Superior de Délhi adiou o caso, na quinta-feira, para dar aos juízes e acusados tempo para estudarem a petição apresentada por Nikhil Bhalla, advogado e membro do partido de oposição Congresso, que Gandhi liderou por sete anos até seu assassinato em 1991.

A série Sacred Games é um suspense situado em Mumbai com um elenco de policiais, espiões e políticos e estreou neste mês, a primeira de uma série de novas produções voltadas para o mercado indiano.

Em uma cena, Gandhi é descrito como um “fattu”, gíria hindi para covarde.      

Imagens granuladas de noticiário o mostram trocando apertos de mão com líderes mundiais enquanto uma narração o acusa de apaziguar grupos muçulmanos em um caso envolvendo o direito de divórcio para mulheres muçulmanas.

“O programa ‘Sacred Games’ tem diálogos impróprios, ataques políticos e até discursos que são de natureza depreciativa e prejudicam a reputação do ex-primeiro-ministro Rajiv Gandhi”, disse a petição.

Um porta-voz do Netflix na Índia não respondeu a telefonemas e mensagens de texto pedindo comentários.

Mais conteúdo sobre:
Netflix Rajiv Gandhi

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.