Alex Carvalho/Globo
Alex Carvalho/Globo

Personalidades lamentam a morte do ator e diretor Paulo José

Atores, diretores e comunicadores falaram sobre a perda para o cinema e a TV

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de agosto de 2021 | 21h11

A morte do ator e diretor Paulo José repercutiu entre outros profissionais e artistas do audiovisual, do cinema e da televisão.

Paulo José morreu nesta quarta-feira, 11, aos 84 anos, no Rio de Janeiro, vítima de uma pneumonia. 

"No momento em eque eu soube, estava cantando com meu filho Otto a música Naquela mesa tá faltando ele. E a saudade dele 'tá doendo em mim' (do Nelson Gonçalves). Eu acho quase impossível viver nesse planeta sem Paulo José. Ele é muita luz. Mas com certeza a trajetória dele vai sempre um caminho pra gente seguir. Ele teve uma existência exuberante. Sorte nós tivemos de viver no mesmo tempo de Paulo José", disse a atriz Débora Duboc sobre o amigo, ao Estadão.

A atriz Patrícia Pillar escreveu em suas redes sociais: "Perdemos um dos maiores atores brasileiros de todos os tempos, o Paulo José. Ser humano generosíssimo e um ator brilhante. Seus personagens podiam ser leves e profundos ao mesmo tempo. Um artista gigante! Fará muita falta pra nós! Fica aqui meu carinho para suas filhas e amigos."

O diretor de Bacurau e Aquarius Kléber Mendonça Filho se pronunciou sobre a morte de Paulo José no Twitter:

 

Já o ator Marcelo Médici escreveu: "Paulo José, ator grandioso, potente, generoso, dos meus preferidos. Homem extremamente delicado. Só podemos agradecer por tudo."

O colunista do Estadão se manifestou: "R.I.P., Paulo José, 84. Ator que simboliza, como poucos, o moderno cinema brasileiro. Extraordinária figura humana. Grande papo."

Manuela d'Ávila também lamentou: "Triste com  a notícia da morte do ator Paulo José, um dos maiores do teatro, do cinema e da televisão brasileira. Minha solidariedade à família"

Tudo o que sabemos sobre:
Paulo José

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.