‘Parques SP’ mistura reality e documentário

Estreia une ação e emoção ao apresentar áreas inacessíveis ao público de reservas ecológicas estaduais

Gabriel Perline, O Estado de S. Paulo

16 de janeiro de 2014 | 19h24

Conhecer espécies em extinção, desbravar a mata virgem e apresentar áreas inacessíveis ao público fazem parte do pacote de atrações de Parques SP, um reality documentário coproduzido pela Prosperidade Filmes e Dogs Can Fly, e apresentado pelo aventureiro Celso Cavallini, egresso da Record, e pela ex-modelo Izadora Bicalho, com estreia marcada para  o dia 18, às 18h30, no Nat Geo.

A temporada conta com dez episódios de 30 minutos e explora as reservas ecológicas dos parques estaduais de São Paulo. “Levamos em consideração os mais representativos e aqueles que oferecem maior número de curiosidades bacanas e desconhecidas do grande público”, explica Cavallini.

 

No episódio de estreia, a equipe viaja a Cananeia e apresenta o Parque Estadual da Ilha do Cardoso, considerado um dos principais criadouros de espécies marinhas do Atlântico Sul. Logo no início, os apresentadores visitam uma área de preservação e se aproximam de uma família de botos cinzas que se ‘instalou’ na costa por causa da farta demanda de alimentos. “É uma realidade diferente para mim”, afirma Izadora. “Embora tenha conhecido algumas paisagens de outros países nas minhas viagens como modelo, nunca tive esse contato tão próximo com animais selvagens.”

E é exatamente a inexperiência de Izadora que elimina o tom professoral do programa. “Chegamos a nos perder numa trilha do parque Carlos Botelho – localizado em São Miguel Arcanjo – e fiquei desesperada. Começou a escurecer. Imagine só, era noite, estávamos no meio do mato, sem lanterna e com pouca água. Morro de medo de cobras e sabia que a qualquer hora uma iria aparecer. Mas me enganei. Em vez de uma, surgiram três. Começaram a rir de mim e tudo isso foi gravado”, lembra a ex-modelo. “Ela tem uma visão virgem, tudo era novidade. Eu parava para ver suas reações, que são as mesmas de quem vai visitar o parque pela primeira vez e mostra aquele encantamento espontâneo”, explica Cavallini, que assume a posição de ‘guia’ do telespectador, enquanto sua parceira se assusta ou se surpreende com alguma novidade. “Os nossos roteiros eram iguais, com poucas diferenças nos textos, mas eu não consegui evitar algumas reações, que divertiram a produção e foram aproveitadas nos fechamentos de cada episódio”, completa Izadora.

Na lista de parques ainda constam Cantareira (São Paulo), Horto Florestal de Campos do Jordão, Ilhabela, Ilha Anchieta (Ubatuba), Intervales (Ribeirão Grande), Petar (Iporanga), Serra do Mar (Cubatão) e Morro do Diabo (Teodoro Sampaio). “É a oportunidade de ver alguns cenários que você não verá em outra situação. São cachoeiras, trilhas e pedras, com imagens impressionantes, tamanha a beleza dos locais que visitamos”, explica Cavallini.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.