Os Visitantes e o Vietnã, por Kazan

Os Visitantes. No Telecine Cult, às 20h20. Reprise, colorido, 88 min

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

01 de dezembro de 2007 | 21h41

É interessante assinalar como, hoje, a Guerra do Iraque é tema de tantos filmes de Hollywood - No Vale das Sombras, Leões e Cordeiros, O Reino, todos em cartaz, e Redacted, com estréia anunciada. Há quase 40 anos, o cinema norte-americano resistiu quanto pôde a abordar outra guerra que dividia a sociedade dos EUA - a do Vietnã. O assunto só passou a ser tratado abertamente após a assinatura do tratado de paz, em Paris.Uma das raras iniciativas anteriores a isso ocorreu em 1972, quando Elia Kazan fez Os Visitantes, com roteiro de seu filho Nicholas. O filme conta a história de dois veteranos do Vietnã que são presos, acusados de crime sexual como os soldados de Redacted, de Brian De Palma. Ao recuperar a liberdade, o que fazem?Os dois soldados invadem a casa de um terceiro veterano - que testemunhou contra eles. Desta maneira, Kazan e seu filho analisavam as divisões produzidas pela Guerra do Vietnã na sociedade norte-americana. O filme, que assinalou a estréia de James Woods, ilustra à perfeição o tema kazaniano da natureza humana que se recusa a ser reprimida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.