Os cafajestes que são apaixonantes

Dr. House voltou para a 4.ª temporada em alto estilo. E que estilo! Ao vê-lo tocando aquela guitarra, quem se importa com as grosserias do médico e com o mau humor? Quando declarei meu amor por Gregory House, recebi tanto apoio da mulherada que comecei a acreditar realmente no senso comum: todas as mulheres amam os cafajestes. E House não está mais sozinho na lista de personagens terríveis que encantam o sexo oposto. O que é aquele Hank Moody? O escritor sujo, baixo e mulherengo de Californication é apaixonante e, ao me ver louca por Hank, carimbei o senso comum. Afinal, quando David Duchovny perseguia aliens em Arquivo X, ele não me causava nenhuma reação além da repulsa. Hank por outro lado, mesmo quando fala as coisas mais nojentas, é um charme. Tenho certeza de que pouquíssimas mulheres resistiriam à lábia do cafajeste de primeira linha. É por tudo isso que afirmo: falta algo no Mandrake de Marcos Palmeira. O personagem é cafajeste, mulherengo e se acha o máximo. Por que eu não me apaixono? Até o Grissom de CSI tem mais apelo que o detetive carioca da série da HBO. Aí vem o Dexter. Ok, ele é um serial killer e, obviamente, isso não é nem um pouco bacana. Mas, veja bem, ele é um personagem que a gente devia odiar, certo? Mas todo mundo torce por ele. E ele é fofo com as mulheres, mesmo sendo tudo fingimento, afinal, psicopatas não têm sentimentos - isso aprendi na série. Aí vem a questão. Será que as mulheres gostam de cafajestes e de mentirosos também na vida real? Ah, desculpem esse meu momento Carrie Bradshaw.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.