Os americanos são uns caretas!

Mais bizarro do que assistir à novela O Clone, dublada em árabe, na Jordânia, é ver a série Big Love - Amor Imenso, da HBO. Na trama, Bill Paxton é um mórmon americano, que tem três mulheres e luta para administrar as famílias e a ilegalidade da situação em que vive. Enquanto assistia ao episódio, pensava na comicidade do enredo para um telespectador na Jordânia. "Como esses americanos são caretas. Qual é o problema de ter três mulheres?", pensa um árabe, enquanto espera sua segunda mulher preparar um chá. Na Jordânia, um homem pode ter até quatro mulheres. Isso quem me contou foi o guia palestino, Mahmoud, que só tem uma mulher, porque fica caro sustentar mais de uma família. Mahmoud diz que, mesmo sendo legal ter tantas mulheres, o homem precisa seguir algumas regras - bem parecidas com as impostas ao mórmon interpretado por Paxton. A primeira esposa, por exemplo, precisa concordar com o segundo matrimônio e assim por diante. O cara precisa dar grana igual para todas as mulheres e proporcionar uma qualidade de vida semelhante a todas. Fora que não tem esse papo de gostar mais de uma mulher e passar mais tempo com a escolhida. Todas merecem atenção igual! Ter um bando de mulheres implica cuidar de um monte de dotes. Lá, o homem paga para casar (desse costume, gostei). E caro. Assim, a mulher pode comprar "ouro, muito ouro, inchallah", como diria Khadija, em O Clone - o guia pagou 4 mil para sua noiva torrar tudo em joias. Aliás, a novela de Glória Perez em árabe parece trama mexicana dublada pelo SBT. A fala acaba, mas o ator segue mexendo os lábios. Divertido, mas não entendi nem os inchallahs!

Etienne Jacintho, O Estado de S.Paulo

21 de junho de 2009 | 00h33

Tudo o que sabemos sobre:
TVeLazerFora de SérieO CloneBig Love

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.